PRISÃO

Preso em SP quarto envolvido na tentativa de roubo ao BB

Clayton Lemes de Santana estava foragido desde outubro do ano passado, quando aconteceu o crime; foi preso no final da tarde desta terça-feira, 11.

11/06/2024 | Tempo de leitura: 2 min
da Redação

Reprodução

Clayton Lemes de Santana: preso na região metropolitana de São Paulo
Clayton Lemes de Santana: preso na região metropolitana de São Paulo

Foi preso no final da tarde desta terça-feira, 11, o último acusado de participar da tentativa de roubo que terminou com a morte de um vigia de 49 anos na agência do Banco do Brasil, na Avenida Brasil, em outubro do ano passado, em Franca. Duas pessoas seguem presas e outra teve a prisão preventiva revogada.

Clayton Lemes de Santana, 39, foi preso em Itaquera, na Grande São Paulo, por policiais civis da Delegacia de Polícia de Investigações sobre Fraudes contra Seguros e Afins.

De acordo com o inquérito policial, além de Cleyton, participaram do crime João Paulo de Barros Carvalho de Carmo, de 31 anos, e David Roberto Alves Marcelo, de 35 anos, que estão presos.

Durante as audiências em maio deste ano, a justiça revogou a prisão preventiva de João Paulo de Castro Ferreira, de 40 anos, que foi acusado de atirar em Adriano. O ex-jogador chegou a ficar foragido e, agora, é monitorado pela Justiça por uma tornozeleira.

Clayton é acusado de orquestrar o crime. Ele é da Baixada Santista e estava em Franca no dia tentativa de roubo para fazer a invasão. Na hora do crime, ele estava em um local em frente ao banco. O processo segue em segredo de Justiça na 2º Vara Criminal do foro de Franca.

O Crime

A ação de quatro homens que planejavam assaltar a agência acabou tirando a vida do vigilante Adriano Costa, de 49 anos, que fazia uma inspeção no local quando se deparou com os bandidos e acabou levando um tiro na cabeça. Adriano Costa morreu na hora.

Um segundo vigilante também foi alvejado, sendo salvo pelo colete balístico. Após os disparos, os bandidos fugiram pelo telhado e conseguiram escapar.

Na noite do mesmo dia 10 de outubro, um dos suspeitos foi capturado pela Polícia e preso. João Paulo de Barros Carvalho do Carmo, de 31 anos, foi encontrado na rua Minas Gerais, que fica atrás da agência invadida. Ele foi levado para a CPJ (Central de Polícia Judiciária de Franca) e teve sua prisão preventiva decretada no dia seguinte, 11 de outubro.

Na semana seguinte após o crime, a  DIG (Delegacia de Investigações Gerais) de Franca identificou e pediu à Justiça a prisão preventiva de outros três suspeitos: Deivid Roberto Alves Marcelo, de 35 anos, Cleiton Lemos de Santana, 39 anos, e João Paulo de Castro Ferreira, 40 anos.

Justiça refoga prisão

Segundo informações do advogado do acusado, Luis Felipe Rizzi Perrone, o juiz revogou o pedido de prisão preventiva de João Paulo de Castro Ferreira, mas determinou o uso de tornozeleira eletrônica. A decisão tem como base as provas e filmagens juntadas pela defesa através da perícia judicial durante as audiências de instruções. O advogado alega que a pessoa nas imagens pode não ser João Paulo. “Estamos felizes com essa revogação, sabemos que João é inocente, essa decisão é muito importante”, disse Luis Felipe na ocasião.

Leia mais:
Juiz revoga prisão preventiva de ex-jogador acusado no caso BB

Fale com o GCN/Sampi! Tem alguma sugestão de pauta ou quer apontar uma correção?
Clique aqui e fale com nossos repórteres.

Receba as notícias mais relevantes de Franca e região direto no seu WhatsApp
Participe da Comunidade

1 COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.

  • MANUEL
    11/06/2024
    A JUSTIÇA TARDA, MAS NÃO FALHA, E ESSE QUE PEGARAM HOJE, PODE SE DIZER QUE FOI PRO BREJO COMO OS OUTROS,SE NO DIA DO ROUBO ELE TIVESSE REZANDO OU EM CASA QUIETINHO, NÃO TERIA ENTRADO NESSA ENRASCADA