CASSADO

Câmara de Ribeirão Corrente cassa vereador da oposição

Sessão extraordinária durou mais de 8 horas; Carlim Miranda (PL) foi cassado por 7 votos contra 2.

Por N. Fradique | 16/05/2024 | Tempo de leitura: 1 min
da Redação

Redes sociais

Sessão da Câmara de Ribeirão Corrente nesta quinta-feira, 16: cassação do mandato do vereador Carlos Miranda (PL)
Sessão da Câmara de Ribeirão Corrente nesta quinta-feira, 16: cassação do mandato do vereador Carlos Miranda (PL)

Em sessão extraordinária nesta quinta-feira, 16, a Câmara Municipal de Ribeirão Corrente, a 32 km de Franca, realizou julgamento de Carlos Miranda (PL), cassando o seu mandado do vereador com a conclusão dos trabalhos de uma Comissão Processante. Ele fazia oposição ao Poder Executivo.

Carlim, como é conhecido, enfrentou uma CP por denunciar junto ao Ministério Público possível prática de nepotismo na Prefeitura Municipal da cidade. A denúncia envolve o nome de Airton Montanher, ex-prefeito e marido da atual prefeita, Aninha Montanher (MDB), nomeado ao cargo de secretário-administrativo. Montanher alegou sofrer calúnia e fez uma representação contra o parlamentar junto à Polícia Civil e a própria Câmara, que acolheu o pedido de quebra de decoro.

Após uma sessão que durou mais de 8 horas, Carlos Miranda foi cassado por 7 votos a 2. Votaram contra a cassação Sirlene Jardim, presidente da própria CP, e Fued Salomão, suplente de Carlim.

"Recebo o resultado sem espanto. Saio de cabeça erguida como entrei. Fiz um trabalho imparcial, seguindo os princípios da administração pública, exercendo meu papel que é o de fiscalizar, mas para alguns isso não é bem-visto", disse Carlim, acrescentando que vai recorrer da decisão junto à Justiça.

Histórico
Outros dois vereadores de Ribeirão Corrente, que também eram da oposição, foram cassados ano passado: Nelson Moraes e José Mineiro.

Leia mais:
Câmara de Ribeirão Corrente cassa mandato de dois vereadores

Vereador  Carlim Miranda (PL): cassado
Vereador Carlim Miranda (PL): cassado

Fale com o GCN/Sampi! Tem alguma sugestão de pauta ou quer apontar uma correção?
Clique aqui e fale com nossos repórteres.

Receba as notícias mais relevantes de Franca e região direto no seu WhatsApp
Participe da Comunidade

2 COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.

  • José Roberto Martins
    16/05/2024
    Ditadura é isso... Toda oposição e eliminada... Palhaçada isso
  • Antônio Modenezze
    16/05/2024
    Com esse histórico de cassação desse município aí de Ribeirão Corrente fica muito claro qual a linha de pensamento desses prefeitos e vereadores que passaram e que estão por lá. Um tipo de administração onde ou você é conivente com todas as ações por eles executadas, mesmo que essas sejam dentro da legalidade ou não, ou então você leva um pé na bunda por não concordar com a turma da Luluzinha, corrupta e muito cara de pau mesmo. Lembrando que esse vereador perdeu seu emprego por denunciar a prefeita que colocou o seu próprio marido no cargo de uma das secretarias do município, e o ministério público disse que nãaaaaaao, isso não era nepotismo, isso era completamente legal.