RIO PIRACICABA

Usina pode pagar até R$ 50 milhões por morte de peixes no rio

Por Da Redação | Jornal de Piracicaba
| Tempo de leitura: 2 min
Will Baldine/JP

A Usina São José, de Rio das Pedras, apontada como a responsável pelo lançamento de poluentes que mataram milhares de peixes no rio Piracicaba poderá ser multada em até R$ 50 milhões segundo a Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo). A informação foi passada pelo gerente diretor de controle e licenciamento ambiental da Cetesb, Adriano Arrepia de Queiroz em coletiva de imprensa realizada na Prefeitura nesta quarta-feira (10).

Saiba mais

Segundo ele, caso deve ser enquadrado no artigo 61 do decreto 6514, que trata sobre “poluição de qualquer natureza em níveis tais que resultem ou possam resultar em danos à saúde humana, ou que provoquem a mortandade de animais ou a destruição significativa da biodiversidade”. A multa, segundo ele, pode chegar a R$ 50 milhões. “É um artigo que é muito amplo na faixa de valor, que incide de R$ 500 a R$ 50 milhões. Nesse universo vai ser levado em conta a gravidade dos danos, extensão, período. Tem os agravantes e os atenuantes. Nós não fomos comunicados pela empresa e isso é um agravante dessa situação”, disse. Ainda de acordo com Queiroz, no momento não há como estimar com precisão a quantidade de peixes mortos no rio. “Por ora, em termos de magnitude, foram toneladas de peixe, acho que o que a gente pode explorar é nessa ordem de grandeza”, disse.
A Prefeitura de Piracicaba também informou que acionou o Ministério Público para investigar a morte de milhares de peixes no rio Piracicaba após o despejo irregular de resíduos poluentes vindos da Usina São José, de álcool e açúcar. A morte dos peixes foi registrada no último domingo (7).

A Prefeitura de Piracicaba também informou que acionou o Ministério Público para investigar a morte de milhares de peixes no rio Piracicaba após o despejo irregular de resíduos poluentes vindos da Usina São José, de álcool e açúcar. A morte dos peixes foi registrada no último domingo (7).

A reportagem tentou contato com a empresa. O único contato encontrado foi o do setor de recursos humanos da usina, que respondeu que enviaria a demanda à assessoria de imprensa da empresa, que entraria em contato. A assessoria da usina não retornou a demanda e também não informaram nenhuma outra forma de contato. O espaço para o posicionamento oficial da empresa segue aberto.

Clique para receber as principais notícias da cidade pelo WhatsApp.

 

 

 

 

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Comentários

Comentários