ARTIGO

Laranja Madura na Beira da Estrada, Zé…

14/05/2024 | Tempo de leitura: 2 min

Foto: reprodução Freepick

Alguns alimentos anunciam o seu amadurecimento, outros não. Esse anúncio se dá pela cor, pelo odor, pela textura e pelo tamanho, se colocando na condição de serem utilizados ou consumidos.

Quem nunca sentiu a água na boca ao se deparar com uma laranja madura à beira da estrada? Essa fruta, tão deliciosa e suculenta, é carregada de vitaminas e nutrientes essenciais, alimentando e saciando a sede de muita gente pelo mundo afora. Mas a laranja vai além de seu sabor inconfundível e refrescante. Ela é símbolo de vitalidade, saúde e generosidade da natureza.

O óleo essencial de laranja, conhecido como óleo fusel, possui propriedades terapêuticas que vão desde o alívio do estresse até a melhoria da digestão. Sua fragrância cítrica também é amplamente utilizada em perfumaria e aromaterapia, proporcionando sensação de bem-estar e revitalização.

No entanto, assim como a própria vida, as frutas cítricas apresentam um equilíbrio entre o doce e o azedo. Enquanto o suco da laranja nos brinda com sua doçura irresistível, a casca pode surpreender com sua acidez marcante. Essa dualidade de sabores nos lembra que a vida é feita de contrastes, e é justamente essa diversidade que a torna tão fascinante.

A produção de laranjas no Brasil não é apenas uma questão de agronomia, mas também uma base econômica sólida. O país é um dos maiores produtores e exportadores mundiais de laranjas, gerando emprego e renda para milhares de pessoas em todo o território nacional.

Em tempos passados, as estradas de terra caracterizavam-se pela poeira que se levantava com a passagem dos veículos, aumentando a sede dos andantes. Os viajantes famintos e sedentos encontravam nas laranjas à beira da estrada um alívio para suas necessidades. Sem cercas para proteger os laranjais, a abundância da fruta solucionava os problemas tanto dos viajantes quanto dos proprietários.

Entretanto, esse cenário também atraía outros habitantes. Os marimbondos, com sua ferroada venenosa, encontravam nas laranjas não apenas alimento, mas também abrigo para suas colônias. As abelhas, em enxames, também faziam das laranjeiras seu lar.

Hoje em dia, os cuidados são maiores. Os eleitores que percorrem as estradas políticas cheias de “mata burros” devem estar atentos para não serem picados pelos marimbondos, pois a oferta das laranjas maduras pode ser uma tentação perigosa. Você já deve ter experimentado a desilusão de ter votado erradamente, que é parecida com a ferroada do marimbondo. Como diz o ditado popular: "Laranja madura na beira da estrada, Zé, ou está bichada ou tem marimbondo no pé." Os inchaços das picadas podem perdurar por muito tempo, então todo cuidado é pouco.

Assim, enquanto as laranjas maduras continuam a nos seduzir com sua doçura e frescor, é importante lembrar que, na estrada da vida, nem sempre tudo é tão simples como colher uma fruta madura na beira da estrada.

Walter Naime é arquiteto-urbanista e empresário.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do SAMPI

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.