EPIDEMIA

Unimed Franca tem 'aumento exponencial' em casos de dengue e suspende cirurgias eletivas

A média diária de atendimentos no hospital tem sido de 802, chegando a 920 na última segunda-feira, 8, com 21 internações por dia. A taxa de ocupação atingiu a marca de 95%.

11/04/2024 | Tempo de leitura: 1 min
da Redação

Arquivo/GCN

Sala de espera do PS do São Joaquim: pacientes de dengue agora são atendimentos em prédio ao lado
Sala de espera do PS do São Joaquim: pacientes de dengue agora são atendimentos em prédio ao lado

O Hospital e Maternidade São Joaquim, da Unimed Franca, anunciou a suspensão temporária das cirurgias eletivas por 15 dias, em resposta ao "aumento exponencial no número de casos (de dengue) e agravamento de condições clínicas". A decisão foi comunicada pela diretoria executiva da Unimed Franca aos médicos cooperados, na quarta-feira, 10, e confirmada pela assessoria de imprensa do plano de saúde nesta quinta-feira, 11.

Desde o início de fevereiro de 2024, segundo nota, o hospital vem implementando contingências para lidar com a disparada nos diagnósticos da doença, incluindo a criação do Ambulatório da Dengue, que oferece atendimento especializado aos pacientes. Informou ainda que vem aumentado a equipe médica e assistencial de acordo com a necessidade.

Aos médicos, a Unimed informou que a média diária de atendimentos no hospital tem sido de 802 – chegando a 920 na última segunda-feira, 8 –, com 21 internações por dia. Assim, a taxa de ocupação atingiu a marca de 95%.

"Dessa forma, o hospital decidiu pelo cancelamento temporário de cirurgias eletivas, ou seja, aquelas que podem ser adiadas sem risco à saúde. A medida vale para os próximos 15 dias", informa o hospital.

Os médicos foram orientados a contatar os pacientes para a remarcação dos procedimentos.

A Unimed Franca orienta os clientes a utilizarem a Telemedicina para casos não emergenciais, "o que ajuda a agilizar muito o atendimento médico e evita exposição a doenças".

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, Franca tem 1.877 casos confirmados de dengue em pessoas residentes no município e 8 óbitos pela doença.

Leia mais:
Empresária de 29 anos é a 8ª morte por dengue em Franca este ano

1 COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.

  • Freitas
    12/04/2024
    Facilitaria muito se os médicos tratassem as pessoas com auxílio de nutricionistas e evitassem o pós-dengue que está praticamente igual o pós-covid. Pessoas com inúmeras alterações no sangue que seriam facilmente corrigidas com alimentação e hidratação (só água não resolve) corretas e suplementação de minerais e vitaminas. Mas não, isso é charlatanismo, negacionismo, anti-ciência... O atraso da medicina brasileira é revoltante. Parar de apenas medicar sintomas e tratar o corpo como um todo, corrigir deficiências nutricionais que causam ou pioram doenças ainda está muito distante neste fim de mundo. A quem interessar: vão a nutricionistas decentes e cuidem de seus corpos com carinho. Não esperem ficar doentes pra depender de médicos sobrecarregados que não aprenderam a tratar os pacientes como organismos complexos.