A CIDADE É SUA

Dono de panificadora é preso acusado por furto de água e o local é lacrado

Além da ligação irregular, estabelecimento tinha condições precárias de higiene e matérias-primas impróprias ao consumo

Por Tisa Moraes | 11/04/2024 | Tempo de leitura: 2 min
da Redação

Imagens do interior do estabelecimento, que agora está lacrado pela Vigilância Sanitária
Imagens do interior do estabelecimento, que agora está lacrado pela Vigilância Sanitária

Um homem de 59 anos, proprietário de uma padaria em Bauru, foi preso pela Polícia Civil nesta quarta-feira (10) acusado de furtar água da rede de distribuição do DAE e manter o estabelecimento, que produzia e comercializava gêneros alimentícios, em condições precárias de higiene e com matérias-primas impróprias para o consumo. No fim do mês passado, o comerciante já havia sido acusado de depredar uma viatura da autarquia com uma barra de ferro, quando uma equipe foi até o local para desfazer a mesma ligação clandestina.

Em razão das reiteradas fraudes, o DAE encaminhou cópia de vasta documentação ao Setor de Investigações Gerais (SIG) da Central de Polícia Judiciária (CPJ) de Bauru. Por volta das 10h30 desta quarta-feira, policiais e servidores do DAE foram à padaria, localizada na quadra 19 da avenida Nuno de Assis, no Parque Vista Alegre.

O proprietário tentou alegar que já havia dado entrada na documentação para regularizar a situação junto à autarquia e estava usando galões de água para manter o estabelecimento aberto. Porém, as equipes verificaram que as torneiras estavam funcionando normalmente.

Em seguida, os funcionários do DAE detectaram a ligação irregular sob o solo, com uso de uma espécie de alicate para unir os trechos da tubulação que tinham sido recentemente rompidos pela autarquia. Durante a ação, os policiais também constaram as condições precárias da padaria e acionaram a Divisão de Vigilância Sanitária Municipal, que interditou o estabelecimento por ausência de higiene e estrutura mínima, bem como transgressão de normas destinadas à proteção da saúde.

ADVOGADO VAI PEDIR LIBERAÇÃO DO CLIENTE

"No local, havia matérias-primas utilizadas para produção dos pães vencidas, outras mal embaladas, com insetos, além de grande quantidade de fezes de ratos pelo solo", informou o delegado Alexandre Protopsaltis, em boletim de ocorrência registrado na CPJ.

O comerciante foi encaminhado ao SIG e preso em flagrante, sem possibilidade de fiança, por furto qualificado mediante fraude e crime contra a relação de consumo. Ele passará por audiência de custódia na manhã desta quinta-feira.

Ao JC, o advogado que o representa, Lucas de Antônio Martins, informou que pedirá para que seu cliente, réu primário, responda a inquérito em liberdade.

O DAE já havia desfeito a mesma ligação clandestina na padaria, ocasião em que o proprietário, revoltado por estar sendo "acusado roubar água", depredou um Fiat Strada da autarquia com uma barra de ferro, danificando o para-brisa, capô do motor, lanterna dianteira direita e o vidro traseiro. Na ocasião, ele foi preso por dano ao patrimônio público e liberado após pagar fiança de R$ 470,00.

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.