FISCALIZAÇÃO

Adegas não podem vender ‘copões’ e podem ser fechadas em São José

Adega que vende copão está praticando uma atividade em desconformidade ou irregular

Por Leandro Vaz | 10/04/2024 | Tempo de leitura: 2 min
São José dos Campos
Da redação

Reprodução

Famosos copões
Famosos copões

Com ações quase que diárias, a Prefeitura de São José dos Campos tem voltado seus olhos para estabelecimentos que funcionam como adegas. Em dado divulgado na semana passada, a administração fechou 34 bares e adegas. Mais de 80% dos casos são adegas. E grande parte localizada na região sul.

Clique aqui para fazer parte da comunidade de OVALE no WhatsApp e receber notícias em primeira mão. E clique aqui para participar também do canal de OVALE no WhatsApp. 

“A nossa fiscalização tem como praxe, no primeiro momento, educativa. Nós sempre buscamos orientar o proprietário sobre algo no funcionamento que está fora da regra. Notificamos, alertamos, damos prazos para que ele possa se adequar. Quando vemos que ele não tem o intuito de se adequar, e quando a situação está bem complicada, a gente faz a interdição sumária”, disse Rodrigo Andrade, diretor do Departamento de Fiscalização e Posturas, ao programa Balanço Geral Vale, da Record.

Um dos principais pontos de reclamação sobre as adegas é o horário de funcionamento. “É o descumprimento do horário. Esses estabelecimentos não podem funcionar após às 22h. Outra é a perturbação de sossego. Gerada muitas vezes pelo próprio estabelecimento que coloca o som muito alto, ou uma banda tocando. Não tem estrutura que suporte isso. E a terceira é a aglomeração de pessoas na via. Esses estabelecimentos não têm estrutura adequada para receber esses clientes e eles ficam na rua, gerando transtornos para a os vizinhos. Muitas vezes fazendo algazarra”, disse Rodrigo.

REGRA POLÊMICA

O chefe de fiscalização esclareceu duas regras específicas para as adegas. “São claras. E os proprietários já sabem. Adega só pode funcionar até as 22h, é horário máximo. O dono não pode fornecer bebida para consumo no local. Ele não pode manipular a bebida ali. Ele só pode fornecer a bebida fechada, engradada para consumo fora dali. Muitos abrem os estabelecimentos, eles alteram e passam a funcionar como bar. Aí fornecem a bebida, o copão, só que eles não têm estrutura. Não tem banheiro, não tem banheiro com acessibilidade. Então ele foi licenciado como adega, mas passou a funcionar como bar, desvirtuando o licenciamento que concedeu”, disse Rodrigo. “Adega que vende copão está praticando uma atividade em desconformidade ou irregular com seu alvará de funcionamento”, completou.

14 COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.

  • Denivaldo costa feliciano
    14/04/2024
    Pode até ser q os donos de adegas estão errados sim mas estão trabalhando levando sustento para sua família pq não acaba com a biqueira tbm q são uns dos maiores movimentos e prejudicam mais a saúde pública e muitas das vezes os q vendem estão ali para seu próprio consumo diferente dos donos de adega q sim levam sustento pra casa a para de ironia né
  • Irmã Conceição da Silva Marcondes
    13/04/2024
    Aqui no Bairro Santana Adegas funciona até amanhecer e vende copao para menores que ali nesmo consome sua bebida e seus baseados, é certo cadê o conselho tutelar estão dormindo e os pais sofrendo pois se for atrás dos filhos até apanham cadê nossa Justiça estamos nas mãos dos traficantes e donos de adegas que dão propina para a polícia fingir que na viram esse é nosso Brasil e justiça que se vendem ....
  • Régis
    12/04/2024
    Até que em fim , uma decisão coerente , só em São José dos campos se permite funcionamento desses estabelecimentos que podem ser tudo, menos uma adega, nem tem vinhos ! Que deveria ser uma exigência de 50% de sua linha de produtos para ser considerada \" Adega \"
  • Everton
    12/04/2024
    As adegas estão causa perturbação de sossego e algazarra, já essas bike de motor que os menores que nao entendem nada de lei d trânsito pode ficar livre nas ruas. Correndo risco de causar acidente e ainda atrapalhando o trânsito. O prefeito tem que começar pegar essas bike tbm
  • Fernando
    12/04/2024
    Pra mim as adegas são iguais os piores que traficantes,pois elas vendem bebidas fortes ,cigarros para menores ,digo pois moro perto de uma adega famosa ,pra não citar nomes é uma que explode!!! O dono faz tudo errado, inclusive exita ,estimula jogos de azar em suas redes,por isso reafirmo ele no caso ,pode não ser todas ,mas essa que citei pra mim é a pior ,destroem nossos filhos ,nossos jovens ,e devia ser sujeita a penas severas da lei!!! Pronto falei
  • Faber Falcão da Frota
    12/04/2024
    Sem querer ser \"moralista\", \" pelego\", \"beato\", ou mesmo, \"demagogo\", o fato é que, o uso de bebidas alcoólicas está atrelado à cultura em que, desde os primórdios, se fazia uso da mesma como gesto de comemoração em diversas festividades, atos religiosos, comerciais ou complementos culinários(1). Contudo, o uso inapropriado/excessivo destas acarreta complicações para a vida do indivíduo. O alcoolismo tem aumentado progressivamente em toda sociedade, tornando-se um grande problema de saúde pública, e seu uso constante está ligado aos fatores de fácil acesso e baixo custo(2). Considerada uma droga lícita, o álcool é um dos principais responsáveis pelas causas de óbitos por abuso de drogas no Brasil. De oito mil mortes por ano, o álcool é responsável por 85% delas. O número de dependentes cresce substancialmente, afetando tanto jovens quanto adultos. Ainda que seja ingerido em poucas quantidades, acarreta consequências graves para todos ao redor do alcoolista. Os malefícios provocados pelo alcoolismo vão além, pois pessoas que possuem essa dependência têm maiores chances de sofrer algum tipo interferência no ambiente de trabalho, ou seja, é prejudicial tanto para as relações familiares quanto para as relações do meio social e profissional(3). O indivíduo dependente do álcool raramente irá admitir e compreender que está passando por um processo de enfermidade, pois ele acredita que poderá parar a qualquer momento que desejar. Esse fator impede que grande parte das pessoas etilistas busque tratamento necessário para ajudá-la, o que começa a acarretar fatores negativos para a mesma e para suas relações mais próximas. A realidade da família que convive com o alcoolismo é de preocupações e conflitos, o que desgasta as relações afetivas no convívio familiar, abalando todo um psicológico do usuário, ocasionando, por muitas vezes, a perda da dignidade humana, ainda, não menos... destruindo sonhos! Após a instalação da dependência, o tratamento é de crucial importância para que o indivíduo alcoolista consiga sua reinserção no meio social após os danos causados pelo vício. A literatura científica evidencia dados importantes sobre o uso e tratamento de alcoólatras, como, por exemplo, o fato de que 11,2% da população brasileira faz parte do grupo de dependentes. Temos tanta informação e tecnologia disponível, contudo, pouco uso destes atributos, que seriam muito úteis, para realmente solucionar, os problemas da nossa alma... \"FALTA DE DEUS\"??
  • Fabio Heloany
    11/04/2024
    Realmente esta fora de contro-le , junta um monte de desocupado que fazem barulho a noite toda , umas moças sem coração que falam mais alto que o João , e ai pronto esta armada a confusão , sofre os vizinhos que tem cara de bobao , que aciona o 190 que não da solução , porque parece que tem medo desse bando de cusao
  • Francisco de Oliveira Borges Borges
    11/04/2024
    Pra quem devemos reclamar?o telefone e sigiloso?
  • Nilson C Amorim
    11/04/2024
    Certíssimo
  • Joao
    11/04/2024
    O problema que a lei funciona pra uns e pra outros ela é totalmente cega. Tem sim que fechar e multar quem esta irregular, mas tem que ser pra todos pois tem bares na regiao central que ocupa calçadas dificultando a passagem de pedestres e a fiscalização faz vistas grossa
  • Joao
    11/04/2024
    A Indústria já tá indo embora aos poucos de SJC. Éramos a 2 economia do estado. Em breve não teremos nem estabelecimentos de lazer porque não pode fazer absolutamente nada aqui
  • Erica
    11/04/2024
    Na real Não acredito Pois nem aquela lei de fechar as 22 hrs não funciona Aqui no meu bairro PUTIM SJC Fica aberta ate as 6 hrs da manhã E tem varias denuncias pelo fluxo q a mesma proporciona
  • Julio Luiz Pereira
    11/04/2024
    Demoro tem que fechar todas as adegas em toda cidade só serve pra perturbar mesmo até mesmo os bares hoje em dia está perturbando dia e noite ninguém mais respeita o transeunte colocando cadeiras e mesas nas calçadas e a gente tem que passar na rua correndo risco de ser atropelado por carro motos e estas bicicletas motorizadas já está fora de controle e também no centro precisa tirar estes espaço que ocupam nosso espaço como pedestre enfim acabar com toda essa algazarra virou bagunça agir com firmeza e nós dar sossego onde quer que possamos ir e vir com tranquilidade obs:a lei tem que ser pra todos independente da localidade
  • Thiago
    11/04/2024
    Uma dica aos donos de adegas Coloquem a bebido dentro de uma garrafinha, daquelas de suco e lacra com a tampa. Aí não vai mais ser vendido copão e sim garrafão kkkk