POLÍCIA

Operação Maré Alta: veja a função de cada jovem na quadrilha acusada de agiotagem

Dez pessoas foram presas no último dia 22; seis tiveram prisão preventiva decretada pela Justiça e quatro foram liberadas.

02/12/2023 | Tempo de leitura: 2 min
da Redação

Reprodução

Bruno Costa, Natã Leal, Jean da Silva, Douglas Rosa, Wesley da Silva, Marcela Lima, André Venâncio, André Ribeiro, Rodolfo Arantes e Gustavo Migueletti
Bruno Costa, Natã Leal, Jean da Silva, Douglas Rosa, Wesley da Silva, Marcela Lima, André Venâncio, André Ribeiro, Rodolfo Arantes e Gustavo Migueletti

A operação Maré Alta, deflagrada na última quarta-feira, 22, pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) com apoio da Polícia Militar contra uma quadrilha de agiotas que atuava em Franca, levou dez pessoas para a cadeia. Nesta quinta-feira, 30, cinco jovens acusados tiveram a prisão temporária convertida em preventiva, e seguem atrás das grades. Uma mulher grávida ficará em prisão domiciliar. Outras quatro pessoas foram liberadas com imposição de medidas cautelares.

Mas quem são os dez acusados de integrar a organização criminosa e qual a função de cada um? Importante destacar que a organização era dividida em liderança, responsável por fazer o intercâmbio entre os financiadores; os financiadores, que investiam na sociedade determinados valores; e os executores, que além de cooptarem os indivíduos interessados em contrair empréstimos, eram também responsáveis pelas cobranças dos débitos e possibilitavam a utilização de seus nomes para a abertura de contas bancárias e transferência de valores.

A seguir, veja a função de Bruno Aparecido de Almeida Costa, Natã Simões Leal, Jean Cardoso da Silva, Douglas de Carvalho Rosa, Wesley Henrique Paulista da Silva e Marcela de Pádua Lima, que tiveram a prisão preventiva decretada pela Justiça.

Bruno Aparecido de Almeida Costa: é apontado como o líder da organização criminosa e principal estruturador do esquema. Costa atuava na captação e levantamento de recursos financeiros junto aos financiadores para empréstimo a terceiros, mediante juros altíssimos e cobranças violentas ou ameaçadoras, que eram concretizados pelos chamados executores. Enquanto líder da organização criminosa, era responsável por definir os procedimentos e protocolos a serem observados pelos executores, tanto na concessão dos empréstimos abusivos como nas cobranças dos valores devidos;

Marcela de Pádua Lima: segundo a denúncia do Gaeco, dividia a liderança da organização com Bruno Aparecido de Almeida Costa. Também era executora, já que realizava os próprios empréstimos com a cobrança de juros abusivos e fazia as cobranças, muitas vezes com violência. Marcela Costa também mantinha contato constante com membros de outra organização criminosa investigada pelo Gaeco; 

• Jean Cardoso da Silva: desempenhava a função de executor. Levantava clientes interessados na contração de empréstimos e também era responsável pela cobrança. Além disso, aponta a denúncia, atuava para mascarar a origem comprometida dos valores angariados pela atividade criminosa;

• Douglas de Carvalho Rosa: também desempenhava a função de executor na organização criminosa, sendo igualmente responsável por atrair clientes interessados na contratação dos empréstimos e efetuar as cobranças futuras em caso de inadimplência;

• Natã Simões Leal: também é apontado como executor, sendo igualmente responsável por atrair clientes interessados na contratação dos empréstimos e efetuar as cobranças futuras;

• Wesley Henrique Paulista da Silva: atuava diretamente na captação de clientes interessados em contrair empréstimos e na cobrança dos débitos da organização criminosa;

• Rodolfo Lomonaco Arantes: é apontado pelo Gaeco como financiador, com investimento de valor elevado na organização criminosa mediante partilha de lucros;

• André Augusto Ferreira Ribeiro: é igualmente apontado como financiador;

• André de Oliveira Venâncio: é apontado na denúncia como financiador;

• Gustavo Migueletti: apontado na denúncia como financiador.

3 COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.

  • APARECIDO DONIZETE NUNES
    03/12/2023
    Gente Bonissima da mais alta qualidade, é capaz deles serem nomeados para o Vaticano. kkkkkkkkkkkk
  • Jean
    03/12/2023
    Gravidez não é doença! Por que a bandida não está atrás das grades! Nossos parlamentares e judiciários são quadrilhas de \"passa-pano\"!!
  • Alex
    02/12/2023
    Tudo boa gente.