REI DA PISCINA

Piracicabano comemora feito histórico em São Paulo: ‘treinamos muito para isso’

Ao lado de José Loro, Flávio Kelner e Paulo Mota, Luiz Antônio Fagundes quebrou recorde mundial o revezamento 4x50 medley, na categoria 280+

Por Erivan Monteiro | 27/10/2023 | Tempo de leitura: 2 min
erivan.monteiro@jpjornal.com.br

Divulgação

Luiz Antônio Fagundes com seu técnico durante evento no Rio: 30 anos de natação
Luiz Antônio Fagundes com seu técnico durante evento no Rio: 30 anos de natação

O nadador piracicabano Luiz Antônio Fagundes, de 73 anos, conquistou um feito histórico ao bater o recorde mundial no revezamento 4x50 medley, na categoria 280+. A marca foi alcançada no domingo passado (22), durante a última etapa do Circuito Paulista de Masters de Natação, evento realizado no clube Pinheiros, em São Paulo.

No time que ainda tinha os brasileiros José Loro (74 anos/Guarujá), Flávio Kelner (65 anos/Rio de Janeiro) e Paulo Mota (75 anos/Campos do Jordão), Fagundes fechou a prova no crown (livre) com o tempo de 2 minutos, 10 segundos e 51 centésimos, superando o recorde anterior por uma margem mínima (2 minutos, 10 segundos e 72 centésimos), pertencente aos Estados Unidos.

“Nós nos propomos a fazer a prova e treinamos muito para isso”, declarou o atleta, que conta as condições que eles tinham de cumprir para o feito ser homologado pela Fina (Federação Internacional de Natação). “Precisava de uma piscina oficial e dentro de um campeonato. E foi o que aconteceu, dentro do Campeonato Paulista. Na última etapa, nós pedimos a tentativa e conseguimos bater esse recorde”, recordou.

Fagundes tem um longo currículo no esporte, com participações em campeonatos mundiais, pan-americanos e sul-americanos, além das inúmeras competições nacionais. Foi a sete mundiais (Inglaterra, Rússia, Nova Zelândia, Canadá, Suécia, Alemanha e Itália) e conquistou seis medalhas de ouro.

Sem tempo para aposentadoria, o piracicabano já pensa no futuro. No próximo ano, ele tem um convite para participar de mais um Mundial – desta vez, será em Doha, no Catar. Feliz, ele conta que faz do esporte a sua terapia: “A natação ajuda não só fisicamente, mas a cabeça da gente”, garante.

INÍCIO

O nadador Luiz Antônio Fagundes aprendeu a nadar com seus pais, com cinco para seis anos. Depois, com 12 anos, foi acompanhar meu pai jogar basquete no clube Regatas, bem na época da inauguração da piscina. Foi lá que começou e desenvolveu principalmente os 50 m livre e os 50 m peito, suas provas mais fortes.

Aos 13 anos, começou a competir pelo Clube de Campo de Piracicaba e só parou aos 20, quando foi estudar em São Paulo. Ficou 23 anos parado e voltou com 43 anos, em Ribeirão Preto, e não parou mais. “Faz 30 anos que eu pratico natação. Me sinto muito bem; me ajuda muito na disposição, saúde… Isso é fantástico”, finaliza.

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.