TRAGÉDIA

“Motor parou”, diz testemunha do acidente aéreo em Bauru

Empresário fazia sua corrida matinal quando avistou a decolagem e queda do biplano, vermelho e branco, conhecido como 'Barão Vermelho'

Por Guilherme Matos | 10/06/2024 | Tempo de leitura: 2 min
da Redação

Bruno Freitas

Aeronave, após a queda no aeródromo de Bauru
Aeronave, após a queda no aeródromo de Bauru

O empresário Reynaldo Farha, 65 anos, praticava sua corrida matinal diária nas proximidades da avenida Getúlio Vargas, quando, por volta das 9h30 desta segunda-feira (10), avistou o avião “Barão Vermelho” decolar do aeródromo de Bauru. A cena poderia ser mais uma das belas imagens que os praticantes de esportes no local presenciam especialmente em dias de céu azul, como o de hoje. Mas os segundos seguintes foram traumatizantes. Ele assistiu à aeronave pilotada por Igor Reis, 51 anos, cair e ser tomada pelo fogo, imagem que ainda não conseguiu tirar da cabeça.

“Eu vi que o avião estava em altura de decolagem, seguindo sentido Agudos, quando ouvi um barulho alto. Olhei e o motor tinha parado”, conta. Testemunhas, inclusive, afirmaram que encontraram uma peça no chão, o que foi confirmado pelo presidente da Empresa Municipal de Desenvolvimento Urbano e Rural de Bauru (Emdurb), Donizete do Carmo.

Quando presenciou o acidente, Reynaldo Farha corria pela estrada de terra que circunda a cabeceira do aeródromo, no fim da avenida Odilon Braga, na Vila Aviação. Antes, como de costume, deixara seu carro estacionado na avenida Getúlio. “O piloto ainda tentou retornar, mas o avião ‘embicou’ para baixo. Eu não vi a hora que o avião atingiu o chão por conta de algumas árvores no local. Corri até onde conseguia enxergar e vi uma fumaça preta subindo e o incêndio” narra.

Segundo ele, na hora, foi tomado pelo desejo de ajudar de alguma forma, mas o alambrado do aeródromo impediu sua aproximação. “Comecei a gritar para pegarem o extintor. Mas não conseguiram controlar as chamas”, afirma.

O CASO

O piloto Igor Reis morreu na queda e teve seu corpo carbonizado. A aeronave caiu de bico.

O piloto integrante da Associação Brasileira de Acrobacia Aérea (Acro Brasil) e sua aeronave Acro Sport II participaram do “Arraiá Aéreo - Inspirando Gerações”, considerada uma das maiores festas de aviação do País, organizada pela Fundação Astronauta Marcos Pontes (AstroPontes) em parceria com a Prefeitura de Bauru. O evento foi realizado na cidade neste final de semana.

Igor Reis era natural de Barra Mansa (RJ), atuava como profissional de tecnologia de informação e tinha como hobby a aviação, área em que começou aos 16 anos. Fez instrução no Aeroclube de Campinas, no Aeroporto dos Amarais. Em 2021, passou a fazer aulas de acrobacia para aumentar a segurança de voo. Atualmente, morava em Valinhos e voltava para casa, no momento em que houve o acidente.

Receba as notícias mais relevantes de Vale Do Paraíba e região direto no seu WhatsApp
Participe da Comunidade

1 COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.

  • Regiane
    10/06/2024
    Foi um choque para todos que estava no aerodromo dia 08e 09 vendo o espetáculo que Igor fez no ar e com sua simpatia no solo que Deus receba e de um descanso eterno e continue brilhando junto ao anjos como vc sempre brilhou