São José

Jovem que matou os pais é transferido para hospital de custódia em Franco da Rocha

Decisão foi tomada após uma análise realizada através de laudos médicos enviados pela família; Rapaz estava preso em Jacareí, pelo crime que chocou o Vale

Por Redação | 31/10/2023 | Tempo de leitura: 2 min
São José dos Campos

Divulgação

José e Euzi Calixto, de 70 e 62 anos, foram encontrados mortos no final de setembro
José e Euzi Calixto, de 70 e 62 anos, foram encontrados mortos no final de setembro

O jovem, de 26 anos, que confessou ter matado os pais e depois ter jogado os corpos na represa de Paraibuna, no final de setembro, em São José dos Campos, foi transferido para um Hospital de Custódia e Tratamento Psiquiátrico, em Franco da Rocha. O rapaz estava preso em Jacareí, pelo crime que chocou o Vale.

Faça parte do canal de OVALE no WhatsApp e receba as principais notícias da região! Acesse: https://whatsapp.com/channel/0029VaDQJAL4tRs1UpjkOI1l

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Rafael Pelizzola, a decisão foi tomada depois de uma análise realizada através de laudos médicos enviados pela família. Apesar de não ter antecedentes criminais, familiares relataram que o rapaz já havia agredido a mãe.

“Tive acesso a inúmeros laudos de quando ele era criança e de alguns anos atrás e esses documentos dão conta de que ele é uma pessoa que padece de algum problema psicológico. Diante desses indícios, ao invés de solicitar a conversão da prisão temporária para preventiva, pedi a internação provisória”, explicou, acrescentando que agora o juiz decidirá ou não, pela internação definitiva do rapaz.

“Será apurado pelo poder judiciário se ele é inimputável, ou seja, não pode ser responsabilizado penalmente sobre o que aconteceu por conta de sua deficiência mental. Se isso ficar comprovado, será decretada uma medida de segurança contra ele, que não é uma pena privativa de liberdade, mas sim a internação definitiva”, falou.

RELEMBRE O CASO

Reservados, religiosos e trabalhadores do campo. Esse era o perfil de José e Euzi Calixto, de 70 e 62 anos, moradores do Novo Detroit, na zona leste de São José. No dia da morte, na companhia do filho, o casal havia ido acompanhar uma obra no forro da cozinha de uma casa que possuíam em Paraibuna.

Euzi foi achada morta no dia 25 de setembro, em um trecho da represa que passa próxima à rua dos Curiós, no bairro Colinas. O marido foi encontrado no dia seguinte. Inicialmente, a suspeita era de afogamento. No entanto, o rumo das investigações mudou repentinamente e o filho das vítimas foi apontado como o principal suspeito.

A reviravolta da história, segundo informações, pegou de surpresa até mesmo familiares das vítimas, quando o rapaz confessou ter matado os pais por não deixarem que ele fizesse tatuagem e usasse brincos.

Receba as notícias mais relevantes de Vale Do Paraíba e região direto no seu WhatsApp
Participe da Comunidade

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.