OBRA

OBRA

Prefeitura prepara nova licitação para obra de desassoreamento da represa do Castelinho

Prefeitura prepara nova licitação para obra de desassoreamento da represa do Castelinho

O problema na represa do clube existe há anos causando grandes transtornos e prejuízos em época de chuvas fortes.

O problema na represa do clube existe há anos causando grandes transtornos e prejuízos em época de chuvas fortes.

Por N. Fradique | 18/09/2023 | Tempo de leitura: 1 min
da Redação

Por N. Fradique
da Redação

18/09/2023 - Tempo de leitura: 1 min

Arquivo/GCN

Represa do Castelinho precisa passar por desassoreamento para evitar enchentes

O problema de enchentes provocado pelo assoreamento da represa do Clube Castelinho parece longe de ser resolvido. O reservatório de água precisa sofrer um processo de desassoreamento e obras em seu vertedouro, que é a saída de água. A represa, que fica dentro do clube, é formada por águas do Córrego do Espraiado.

A Secretaria de Meio Ambiente informa nesta segunda-feira, 18, está em andamento um novo processo licitatório para a elaboração de projeto executivo dos serviços de desassoreamento da represa, e que novo edital será publicada em breve. As empresas que participaram da última licitação não cumpriram com os requisitos contemplados no edital.

A Câmara aprovou investimento de verba pública para as obras na represa em 2021, mas a Prefeitura já abriu dois processos licitatórios nesse período, e nenhuma empresa se interessou. A última licitação foi em março deste ano, com um teto de investimento estimado em R$ 77,8 mil.

O problema na represa do clube existe há anos causando grandes transtornos e prejuízos em época de chuvas fortes.  Em 2007, o próprio clube realizou um trabalho de desassoreamento na represa, quando técnicos estimaram que cerca de 3,5 metros de profundidade estavam tomados por terra, sobrando apenas 1,5 metro para a retenção da água.

Apesar de a área ser particular, o presidente do clube, Marco Antônio Salgado, disse recentemente que a represa é de interesse público, lembrando que em 2015 serviu de apoio para abastecimento da cidade quando a Sabesp utilizou como fonte alternativa de captação de água de forma emergencial durante a crise hídrica.

O problema de enchentes provocado pelo assoreamento da represa do Clube Castelinho parece longe de ser resolvido. O reservatório de água precisa sofrer um processo de desassoreamento e obras em seu vertedouro, que é a saída de água. A represa, que fica dentro do clube, é formada por águas do Córrego do Espraiado.

A Secretaria de Meio Ambiente informa nesta segunda-feira, 18, está em andamento um novo processo licitatório para a elaboração de projeto executivo dos serviços de desassoreamento da represa, e que novo edital será publicada em breve. As empresas que participaram da última licitação não cumpriram com os requisitos contemplados no edital.

A Câmara aprovou investimento de verba pública para as obras na represa em 2021, mas a Prefeitura já abriu dois processos licitatórios nesse período, e nenhuma empresa se interessou. A última licitação foi em março deste ano, com um teto de investimento estimado em R$ 77,8 mil.

O problema na represa do clube existe há anos causando grandes transtornos e prejuízos em época de chuvas fortes.  Em 2007, o próprio clube realizou um trabalho de desassoreamento na represa, quando técnicos estimaram que cerca de 3,5 metros de profundidade estavam tomados por terra, sobrando apenas 1,5 metro para a retenção da água.

Apesar de a área ser particular, o presidente do clube, Marco Antônio Salgado, disse recentemente que a represa é de interesse público, lembrando que em 2015 serviu de apoio para abastecimento da cidade quando a Sabesp utilizou como fonte alternativa de captação de água de forma emergencial durante a crise hídrica.

Quer receber as notícias mais relevantes de Franca e região direto no seu WhatsApp? Faça parte da comunidade GCN/Sampi e fique sabendo de tudo em tempo real. É totalmente gratuito! Abra o QR Code.

Participe da Comunidade

Quer receber as notícias mais relevantes de Franca e região direto no seu WhatsApp? Faça parte da comunidade GCN/Sampi e fique sabendo de tudo em tempo real. É totalmente gratuito!

Participe da Comunidade

5 COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.

  • Anesio Borges
    20/09/2023
    Ao caro presidente Marco Antonio, não há interesse publico nenhum na represa dentro da sua propriedade, quer se aproveitar de um fato de 8 anos atrás para pagar sua obra com o nosso dinheiro. Se por acaso essa obra for paga pela prefeitura, eu vou exigir a minha entrada no clube para visitar a represa, já que ela se tornará pública.
  • Mauricio
    19/09/2023
    Faz um mutirão com os andarilhos e mendigo de Franca e por eles pra trabalhar no desassoreamento.
  • Juarez
    19/09/2023
    Bela temporada para o inciar os trabalhos
  • Dirceu
    19/09/2023
    A tal represa não é particular??? Ou todos tem acesso e eu não sabia? Se é do clube, quem deveria pagar pra desassorear é o dono da represa, não o poder público com o nosso dinheiro.
  • JOIAS DAS ARABIAS
    19/09/2023
    Deixa eu ver se entendi! Estamos próximo da estação chuvosa e, agora é que pretende realizar essa obra? Tão de brincadeira com a nossa cara?