REFÉNS DA LAMA

Rio Negro e Solimões vira lamaçal, engole veículos e moradores ficam ilhados

Há oito dias, os moradores do bairro Villaggio San Rafaello, conglomerado de sítios e chácaras, enfrentam este problema.

Por Gabriel Garcia | 17/03/2023 | Tempo de leitura: 2 min
da Redação

WhatsApp/GCN

Sempre que chove, a rodovia Rio Negro e Solimões fica em péssimas condições
Sempre que chove, a rodovia Rio Negro e Solimões fica em péssimas condições

“Reféns” da lama, moradores do bairro Villagio San Rafaello, conglomerado de sítios e chácaras, do município de Franca, reclamam da atual situação da rodovia Rio Negro e Solimões. O lamaçal que virou a estrada de terra impede que os residentes da região possam sair com seus veículos.

“Ontem e hoje (quinta e sexta-feira), o acesso principal do bairro (pela rodovia) está completamente interditado. Está assim desde o início da semana passada”, diz Thiago Geminiano de Oliveira, 42, bancário, morador no bairro.

Imagens e vídeos registrados por moradores mostram a atual situação dos trechos que precisam percorrer para chegar até suas residências. Caminhonetes, carros e até mesmo uma escavadeira foram "engolidos" pela estrada de terra nesta semana.

O acesso ao bairro se dá pela rodovia Rio Negro e Solimões, partindo do Aeroporto de Franca, a quatro quilômetros de distância do bairro. “Trata-se de um bairro urbano e aprovado de Franca, habitado, mesmo assim estamos com esse problema e não conseguimos sair daqui”, reclama o bancário.

As tentativas de contato com o DER (Departamento de Estradas de Rodagem), responsável pela área, foram inúmeras, segundo ele, e o pedido de ajuda permanece ignorado, apesar de vários protocolos e respostas padrões que recebem. “O Engenheiro Alfredo do DER está a par da situação. Encaminhei o mesmo material a ele. Porém, o reparo se transformou em uma obra de grande porte”, relatou

Foram feitas propostas de caminhos alternativos pelas fazendas que margeiam a rodovia, porém todas rejeitadas, por ambos os lados.

Moradores têm deixado seus carros em suas garagens e aqueles que não conseguem atravessar para dentro do conglomerado, os deixam parados na altura do aeroporto, tendo de caminhar quase cinco quilômetros suas casas. “Alguns têm chamado aplicativos de viagem ou até mesmo pedindo para outra pessoa buscar. Tem um professor que mora aqui no bairro, chega às 19h da cidade, e faz todo o trajeto a pé”, finalizou.

Segundo ele, o local está nesta situação desde o dia 9, totalizando oito dias de total isolamento do bairro. E o pior, toda vez que chove, o problema se repete.

A rodovia Rio Negro e Solimões será asfaltada. O processo está em fase de contratação. Enquanto a burocracia se desenrola lentamente, os moradores que utilizam a rodovia ficam praticamente impedidos de se locomover.

Fale com o GCN/Sampi! Tem alguma sugestão de pauta ou quer apontar uma correção?
Clique aqui e fale com nossos repórteres.

Receba as notícias mais relevantes de Franca e região direto no seu WhatsApp
Participe da Comunidade

2 COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.

  • Odorico
    17/03/2023
    Trata-se de uma rodovia estadual e a obra é complexa, cabe ao DER promover e organizar um desvio prático aos usuários e moradores da região, assim como faz em outras rodovias estaduais em situações semelhantes.
  • Marilucia Nassif
    17/03/2023
    Essa situação está se estendendo demais, prejudicando os moradores do bairro impedidos no seu direito de ir e vir. A estrada é responsabilidade do estado, porém o bairro é responsabilidade da prefeitura. Pagamos impostos e ainda assim não temos atenção dos órgãos públicos