Polícia ‘caça’ pastor que engravidou menina de 12 anos

A Polícia Civil de Franca está à procura de um auxiliar de pastor da Igreja Universal do Reino de Deus, instalada no Jardim Redentor.

15/02/2006 | Tempo de leitura: 2 min

Rodolfo César da Redação A Polícia Civil de Franca está à procura de um auxiliar de pastor da Igreja Universal do Reino de Deus, instalada no Jardim Redentor. Ele é acusado de ter engravidado uma menina de 12 anos no ano passado. A jovem está no oitavo mês de gestação e deverá ter a criança entre fim de fevereiro e começo de março. O paradeiro do auxiliar de pastor é desconhecido. Primeiro, a polícia soube, informada por outros pastores da igreja, que ele teria sido transferido para Caraguatatuba. Meses depois, ele teria ido parar em São Miguel Paulista. Agora, há informações de que ele deixou a igreja. A delegada Graciela Ambrosio disse ontem que chamará os responsáveis pela Universal para depor e então cobrará notícias de seu auxiliar. Caso não tenha sucesso em localizá-lo, pedirá sua prisão à Justiça. “Desde o dia dos fatos, o auxiliar sumiu. Temos de encontrá-lo para saber sua versão sobre as acusações”, disse ontem à noite. Ambrosio declarou ter tentado ouvi-lo através de carta precatória. “O documento retornou sem resposta. Isso mostra que ele não quer ajudar”, disse. Segundo inquérito policial, o crime teria acontecido no dia 11 de junho, dentro da igreja do Jardim Redentor, enquanto a adolescente limpava o local. Em dado momento, o auxiliar de pastor a levou a um cômodo próximo onde havia uma cama. À re-velia, ele a despiu, beijou e tentou manter relações sexuais. Não conseguiu, mas teria ejaculado em suas pernas. A denúncia foi feita só em 14 de agosto, depois que a jovem passou a sentir enjôos. Desde então, a polícia começou a investigação. Ouviu depoimentos da garota, sua mãe, fiéis e do pastor responsável pela igreja. Também solicitou exames médicos para comprovar possível violência sexual. O resultado apontou a gravidez e o fato de que a menina era virgem. “É um caso difícil. Há relatos de gravidez deste tipo e a garota tem histórico de uma vida tranqüila”, disse a delegada, que já revela qual será seu próximo passo: “A paternidade só será confirmada com um exame de DNA. Isso poderá ser pedido após nascimento da criança. Mas antes temos de encontrar o auxiliar de pastor”, disse.

Fale com o GCN/Sampi! Tem alguma sugestão de pauta ou quer apontar uma correção?
Clique aqui e fale com nossos repórteres.

Receba as notícias mais relevantes de Franca e região direto no seu WhatsApp
Participe da Comunidade

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.