TRISTE

Jovem de 24 anos morre após ônibus atingir moto que pilotava

Alessandra Martins Dos Santos teve uma colisão com as rodas de veículo do transporte coletivo; acidente foi na região do Campo Belo, em Campinas

Por Thiago Rovêdo | 3 dias atrás | Tempo de leitura: 1 min
Especial para Sampi Campinas

Rede Social

Alessandra Martins dos Santos morreu aos 24 anos
Alessandra Martins dos Santos morreu aos 24 anos

Uma mulher de 24 anos morreu após ter a moto que pilotava atingida por um ônibus do transporte público coletivo no região do Campo Belo, em Campinas, na noite de quarta-feira, 15. Alessandra Martins dos Santos teve uma colisão com as rodas e morreu no local. O caso foi levado e registrado no plantão policial da 2ª Delegacia Seccional.

De acordo com o boletim de ocorrência, a motociclista trafegava pela Rua Doutor Ademir Cubero Ruano, por volta das 20h. Ao chegar em um cruzamento, ela bateu na roda traseira e ainda foi atropelada na sequência.

O Resgate do Corpo de Bombeiros foi acionado, mas a jovem não resistiu e morreu no local do acidente. A PM (Polícia Militar) foi acionada para isolar a área para o trabalho da perícia da Polícia Civil.

O corpo de Alessandra foi encaminhado ao IML (Instituto Médico Legal). A Setec ainda não confirmou informações do horário e local do velório e enterro. 

1 COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.

  • RICARDO PEREIRA MILICIC
    2 dias atrás
    Acredito que a coerência e coesão do texto da matéria falta conexão com o real acontecido, primeiro não foi o ônibus que a atingiu e sim a motociclista que atingiu o ônibus, e assim caiu embaixo da roda traseira acontecendo assim o seu atropelamento, segundo a motociclista estava fazendo o uso do seu aparelho celular na hora do ocorrido, fato este que ficou desapercebido pelo fato das pessoas ao redor do acidente não respeitarem o local, mexendo no corpo da vítima e assim tirando o celular de sua mão para ligar para alguém conhecido da vítima, precisando abrir as mão que ficaram travadas com o celular, fato presenciado por mim mesmo, queriam ajudar porém contaminaram o local do acidente para o trabalho da perícia.