ARTIGO

Rio Grande do Sul: da tragédia aos traumas

27/05/2024 | Tempo de leitura: 3 min

Nos próximos dias e ou semanas as pessoas acometidas pelas enchentes que estão ocorrendo no sul do país vão desencadear traumas e diversos sintomas emocionais e o quanto antes esses indivíduos receberem suporte psicológico, auxiliará para não desenvolverem casos mais graves. Essa é uma tragédia que está mobilizando o ‘’mundo’’ e que se distancia de deixar somente marcas físicas como a desnutrição, doenças contraídas pelas águas contaminadas devidos ‘’bichos peçonhentos’’, tétano pelos destroços enferrujados, dentre outras, em todo o estado do Rio Grande do Sul.

Outros danos ainda estão por vir e, assim que as águas baixarem, aos poucos vão desencadear traumas nas famílias pela devastação das perdas materiais e também dificuldades psíquicas pela necessidade em enfrentarem essa realidade de devastação.

A maioria dos atingidos ainda está em choque e com o passar do tempo a possibilidade de desenvolverem um quadro de estresse pós-traumático é grande devido a dor emocional que essa tragédia deixa registrado na vida da população.

Existem pessoas que perderam absolutamente tudo materialmente, além inclusive de alguns membros da família e pets de estimação que não conseguiram a mesma sorte em se salvarem e ou serem resgatados e essas pessoas vivem dias sem nenhuma possibilidade de reação a essa situação. Pessoas essas que começaram a funcionar por instinto de sobrevivência, somente existindo em estado de luta e fuga, na tentativa da busca por proteção para acabar com aquele momento o mais rápido possível.

O instinto de luta pode até mesmo justificar atos extremos de indivíduos que nunca tiveram comportamentos exacerbados de combatividade, desenvolveram atitudes extremas por desespero. Daqui um tempo o sistema psíquico pode como tentativa de reação de proteção desenvolver a depressão e ou a hipervigilância e, ainda, outros sintomas graves, podendo até apresentar pensamentos com ideações suicidas.

Em breve toda a água será escoada nas cidades que sofrem com as enchentes no estado e toda a população que já está passando por momentos avassaladores em suas vidas vão precisar enfrentar a realidade diante de traumas e perdas. Destaco que o trauma da população pode ser considerado o mesmo que atinge soldados em situações de pós-guerra. Vale ressaltar que no momento da dificuldade todos se unem em prol da necessidade, lutam, enfrentam, desejam viver, mas, posteriormente, podem ser acometidos por depressão, insônia, crises de ansiedade e pânico. Para a maioria das pessoas, o transtorno de estresse pós-traumático somente vai aparecer meses após a tragédia. As pessoas que puderem ser acompanhadas psicologicamente nesse momento podem evitar desencadear transtornos emocionais em um breve futuro, como falta de ação, de energia física ou até agressividade. Claro que, de imediato, essas famílias precisam de necessidades básicas como alimentação, abrigo, água potável e agasalhos para se manterem minimamente sobreviventes a esse período, porém, em breve, será a vez dos profissionais de saúde mental entrar em ação e ficarem atentos as alterações de personalidade e comportamentais desses indivíduos.

Claro que embora a experiência na enchente seja singular para cada indivíduo, o trauma não deixa de ser coletivo, por isso a resposta do tratamento psicológico também pode ser oferecida de forma comunitária, seja entre as próprias famílias afetadas, mas também junto com os profissionais mobilizados para isso.

A ajuda coletiva para as vítimas é essencial, pois facilita na diminuição do sofrimento e ao recomeço para novas possibilidades no decorrer da vida desses sobreviventes. A população de todo o país e demais localidades mundiais, junto com as organizações governamentais, estão mobilizados em um ato humano e de cidadania para tornar essa tragédia mais amena na vida dos acometidos e, agora, é hora dos profissionais da psicologia entrar em ação, contribuindo para os cuidados da saúde mental da população, pois necessitarão assumir um trabalho árduo de prevenção a doenças psiquiátricas sérias para evitar seu desencadeamento em um breve futuro. Estimulo a todos se mobilizarem e ajudarem da maneira que puderem nessa grande corrente do bem.

Clique para receber as principais notícias da cidade pelo WhatsApp.

Siga o Canal do JP no WhatsApp para mais conteúdo.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do SAMPI

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.