VIOLÊNCIA

Mais violenta de SP, Vale tem 8 das 12 cidades com as mais altas taxas de homicídio

Queda no número de vítimas de homicídios em 2023 não tira a região do topo do ranking paulista da violência

Por Xandu Alves | 07/01/2024 | Tempo de leitura: 3 min
São José dos Campos

Divulgação

Polícia Militar
Polícia Militar

Oito cidades do Vale do Paraíba estão entre as 12 de São Paulo com as maiores taxas de vítimas de homicídio do estado – quatro delas lideram o ranking paulista. Nenhuma outra região tem tantas cidades entre as mais violentas. O topo da lista é dominado por cidades do Vale desde o começo do ano passado.

Faça parte do canal de OVALE no WhatsApp e receba as principais notícias da região! Acesse: https://whatsapp.com/channel/0029VaDQJAL4tRs1UpjkOI1l

O índice é feito por OVALE com dados oficiais da SSP (Secretaria de Estado da Segurança Pública) e leva em conta a quantidade de vítimas de homicídio entre dezembro de 2022 e novembro de 2023.

Nesse período, aRMVALE acumula 311 pessoas assassinadas contra 368 óbitos no mesmo intervalo anterior, uma redução de 15%.

A lista estadual da violência compara as 100 maiores cidades paulistas com relação à taxa de vítimas de homicídio por 100 mil habitantes.

MUNICÍPIOS

A cidade mais violenta do estado continua sendo Cruzeiro, que tem 42,69 vítimas de homicídio por 100 mil habitantes. O município voltou a ter aumento da taxa depois de vê-la cair para 38,60 no ranking anterior.

“É válida a demanda da segurança pública em Cruzeiro, mas o que nos anima muito é que nós já estamos há dois anos com uma diminuição nos casos”, disse o prefeito de Cruzeiro, Thales Gabriel (PSD).

“Então a gente teve 2022 sendo melhor do que 2021 e 2023 muito melhorado em relação a 2022. Temos em torno de 30% de queda de homicídios comparado de 2021 para 2023. Estamos trabalhando muito com a Polícia Militar e com a Polícia Civil para que a gente aprimore ainda mais essa qualidade de segurança.”

A lista estadual continua com Lorena (30,64), Caraguatatuba (22,98) e Guaratinguetá (20,33), respectivamente na segunda, terceira e quarta posições do ranking paulista.

As cidades de Araçatuba (16,85) e Votuporanga (15,61) aparecem nas posições de número 5 e 6, mas depois voltam os municípios do Vale: Caçapava (15,59), Ubatuba (13,98) e São Sebastião (13,49).

Na sequência, estão Rio Claro (12,70) e Mairiporã (11,58), no 10º e 11º lugares. Tendo ocupado a 17ª colocação em listas anteriores, Taubaté é a 12ª cidade no ranking atual, com 10,30 vítimas por 100 mil habitantes.

Com isso, as oito cidades do Vale entre as 12 mais violentas do estado têm taxa de homicídio acima de 10, índice classificado pela OMS (Organização Mundial da Saúde) como “zona epidêmica para a violência”.

HEGEMONIA

A hegemonia da RMVale é tão grande que, entre a 5ª e a 12ª posição da lista estadual, há cidades de quatro regiões diferentes: Araçatuba, São José do Rio Preto, Piracicaba e Grande São Paulo.

Com esse resultado, o Vale tem 66% das cidades que estão até a 12ª posição do ranking paulista da violência.

Já tendo frequentado a parte de cima da lista, Pindamonhangaba conseguiu reduzir a taxa e caiu para a 24ª posição do ranking, com taxa de 8,46. Jacareí vem na sequência com taxa de 7,49 e ocupando a 34ª posição do ranking estadual.

A próxima da RMVale no ranking é São José dos Campos (taxa de 5,88), cidade que voltou a ter a menor taxa de vítimas de homicídio da região – havia perdido esse posto para São Sebastião na lista anterior.

No ranking paulista, as três cidades com as menores taxas do estado são Valinhos (0,79) e São João da Boa Vista e Tatuí, que não tiveram nenhum homicídio nos últimos 12 meses, respectivamente pertencentes às regiões de Campinas, Piracicaba e Sorocaba. No geral, 83 municípios paulistas têm taxa abaixo de 10.

Receba as notícias mais relevantes de Vale Do Paraíba e região direto no seu WhatsApp
Participe da Comunidade

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.