OPINIÃO

A água, o envelhecimento e o cérebro

08/06/2024 | Tempo de leitura: 3 min

A relação entre a água, o nosso cérebro e o processo de envelhecimento vem sendo muito estudado e cada vez mais comprovado a sua importância para nossa saúde. A  água é indispensável para todos os seres humanos, nosso corpo é formado por cerca de 70% de água e  o nosso cérebro, por cerca de 90%. Pessoas bem hidratadas aparentam ser mais saudáveis e desenvolvem menos doenças crônicas, de acordo com um estudo publicado na revista eBioMedicine. Os resultados desse estudo sugerem que a hidratação adequada pode retardar o envelhecimento e prolongar uma vida livre de doenças.

Metade das pessoas em todo o mundo não cumprem as recomendações diárias de hidratação adequadas, que geralmente começam em 6 xícaras ou 1,5 litros de água. Vai depender do local onde a pessoa vive, do tipo de clima, idade, peso e tipo de atividade praticada, por exemplo.  

Com a idade, há uma redução na quantidade de água tanto em nosso corpo,  como em nosso cérebro, como mostrou um outro estudo feito por Cohadon, F, numa revista de gerontologia, comprovando o declínio da água com o passar do tempo, o que pode implicar numa série de problemas neurológicos. 

Um cérebro jovem e saudável requer água suficiente para poder funcionar em sua potencialidade máxima, já que três quartos do cérebro são compostos de água e este órgão necessita de um amplo suprimento de líquido. No Alzheimer, por exemplo, a massa cinzenta diminui e a desidratação consistente pode fazer com que o cérebro envelheça ainda mais rapidamente do que o normal. 

Vocês sabiam que a desidratação é uma das principais razões pelas quais pessoas acima de 65 anos são levadas ao pronto-socorro? Fora que a desidratação pode agravar sintomas de demência, causando fadiga mental, mudanças repentinas de humor, confusão e dificuldade no processamento de informações, náuseas, perda de equilíbrio, dores de cabeça, chegando em casos mais graves, em inconsciência. 

Para a saúde geral é necessário manter a hidratação do corpo, porém devemos nos habituar a fazer da hidratação uma verdadeira norma para a nossa saúde, constantemente, desde crianças, mas principalmente durante todo o processo de envelhecimento. Infelizmente, pessoas com demência correm um risco aumentado de ficarem desidratadas, pois acabam se esquecendo de beber água e outros sentem dificuldade de comunicar as suas necessidades para os cuidadores.  

A água oriunda dos alimentos não é uma boa fonte de hidratação, já que geralmente, não excede 20% da nossa ingestão total de água. Mesmo consumindo muitas frutas, sopas e vegetais, isso não excederá 30 ou 40% da ingestão, sendo praticamente impossível manter-se hidratado apenas com alimentos sólidos. É preciso beber água de verdade. 

Comece bebendo água pela manhã, após permanecer de 6 a 8 horas dormindo. Este pode ser um novo hábito para começar, além de iniciar o seu dia energizado e hidratado, e irá ajudá-lo a beber água com mais facilidade ao longo de todo o dia.   

Até mesmo o estresse pode ser influenciado pela água, apesar de estar geralmente relacionado a sentimentos negativos de um ponto de vista psicológico, mas a boa hidratação influencia positivamente no estresse, segundo estudos. Pessoas bem hidratadas geralmente são bem humoradas, mais focadas e mais alertas, já pessoas desidratadas reportam menos alegrias, menos calma e mais confusão mental. Portanto, estressou? Beba água! 

Um cérebro bem hidratado beneficia a concentração, memória, equilíbrio do humor e até mesmo melhora a qualidade do sono. A água é também essencial para a saúde do coração, para o bom funcionamento dos sistemas muscular, articular e fascial, necessários para nos manter fisicamente ativos e sem dores, além de manter nosso cérebro bem oxigenado.

Há uma ligação estreita entre a saúde mental, o nível de hidratação  e o envelhecimento. Muitas vezes pensamos em hidratação para deixar a pele bonita, passamos cremes caríssimos para hidratar a pele, mas não nos atentamos a quantidade de água ingerida durante o dia. É de extrema importância focar na hidratação como um remédio homeopático para que nosso cérebro funcione bem, para que nossos intestinos também possam funcionar adequadamente, para que possamos envelhecer com saúde e aproveitar a vida em sua totalidade. Muita saúde a todos. 

Liciana Rossi é educadora física (licianarossi@terra.com.br)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do SAMPI

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.