COLUNISTA

O pecado contra o Espírito Santo

Por Dom Caetano Ferrari | 09/06/2024 | Tempo de leitura: 3 min

Bispo Emérito de Bauru

No Evangelho da santa Missa deste domingo - Mc 3,20-35 - Jesus é contestado por escribas (explicadores ou mestres da lei) quanto ao seu poder de expulsar o demônio, o antigo inimigo da humanidade que fora representado pela serpente que enganou Adão e Eva, "esmagando-lhe a sua cabeça", como ouvimos na 1ª leit., Gn 3,9-15). Esses mestres da lei quiseram explicar que o poder de Jesus de expulsar demônios provinha do próprio chefe dos demônios chamado de Belzebu do qual devia estar possuído. Jesus, então, respondeu-lhes argumentado que satanás não poderia expulsar a satanás, pois se um reino se divide contra si mesmo não fica de pé, mas será destruído; também se alguém quisesse entrar na casa de um homem forte para roubar seus bens precisaria antes o amarrar fortemente; por fim, quem não quisesse entender que Ele, Jesus, age com a autoridade de Deus para vencer o demônio blasfema contra o Espírito Santo que atua nEle de modo invisível, pecado este que não tem perdão, e exclui-se da salvação. Porque eles blasfemavam que Jesus estava possuído por um espírito mau, Jesus assim se expressou: "Em verdade vos digo, tudo será perdoado aos homens, tanto os pecados como qualquer blasfêmia que tiverem dito. Mas quem blasfemar contra o Espírito Santo nunca será perdoado; será culpado de um pecado eterno". São Marcos vai contando que em seguida foram chegando sua mãe e seus irmãos, e como ali se reunia muita gente, eles ficaram de fora da casa, mas Jesus mandou que entrassem e, olhando ao redor, foi dizendo a todos: "Quem é minha mãe e quem são meus irmãos?... Quem faz a vontade de Deus, esse é meu irmão e minha mãe". Também São João escreveu no seu Evangelho que fazer a vontade de Deus é "crer que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus e, crendo, ter a vida em seu nome" (Jo 20,31). Na hora do confronto de Jesus com as forças do mal ali sempre se fazia presente a sua mãe. O que ela vinha fazer ou dizer? Como nesta oportunidade ela vinha simplesmente expressar que prioritário e acima de tudo na vida está este valor e ensinamento: Buscar sempre conhecer e fazer a vontade de Deus a fim de vencer satanás e todo o mal. Pois neste ponto se encontra a raiz da desgraça do demônio e de seus asseclas, a desobediência à vontade de Deus, em outras palavras, a vontade própria colocada no centro, para além do amor a Deus e aos outros, ou seja, o eterno egoísmo. Conta-se que um homem justo morreu e foi para o céu. Lá ele ouviu, vindo de uma sala fechada, ruídos horríveis. Que lugar é aquele, perguntou ele a Deus? Deus, abrindo a porta daquela sala, disse: É o inferno. Lá estão os infelizes egoístas, gemendo de dores, que não cansavam de gritar: Eu, eu, eu...

O Poder de Jesus de fazer milagres e de expulsar os demônios e os seus argumentos convincentes sobre a verdade do Messias, o redentor e salvador, vão revelando quem Ele é de fato. Um dos objetivos do Evangelho de São Marcos é revelar quem é Jesus, esta pessoa que fala com autoridade e age com poder. Jesus Cristo é o descendente da mulher que é mais forte do que o príncipe dos demônios. Venceu o demônio no deserto depois do seu batismo, venceu-o expulsando os demônios. Ele é o homem forte que guarda a casa. Tudo isso Ele o fez e o faz pelo Espírito Santo e não por algum espírito diabólico.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do SAMPI

Receba as notícias mais relevantes de Bauru e região direto no seu WhatsApp
Participe da Comunidade

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.