COLUNISTA

'Jesus foi arrebatado ao céu e sentou-se à direita de Deus'

11/05/2024 | Tempo de leitura: 3 min

A Igreja celebra neste domingo a solenidade da Ascensão do Senhor. Tendo ressuscitado ao terceiro dia de sua morte, Jesus mostrou-se vivo aos seus amigos, discípulos e apóstolos, durante quarenta dias, falando-lhes do Reino de Deus. Terminado este tempo, Jesus subiu ao céu voltando para a casa do Pai. A Ascensão é este evento. Conforme a página dos Atos dos Apóstolos lida na santa Missa da Ascensão "Jesus elevou-se à vista dos apóstolos, e uma nuvem o ocultou a seus olhos" (cf, 1ª leit., At 1,1-11). No Prefácio desta santa Missa, o celebrante reza assim: "Vencendo o pecado e a morte, Jesus, rei da glória, subiu hoje, ante os anjos maravilhados, ao mais alto dos céus. E tornou-se o mediador entre Deus, nosso Pai, e a humanidade redimida, juiz do mundo e Senhor do universo. Ele, nossa cabeça e princípio, subiu aos céus não para afastar-se de nossa humildade, mas para dar-nos a certeza de que nos conduzirá à glória da imortalidade. Por essa razão, transbordamos de alegria pascal e aclamamos a bondade do Senhor, Pai Santo, Deus eterno e todo-poderoso, cantando: Santo, santo, santo é o Senhor".

No Evangelho tirado de São Marcos 16,15-20, Jesus se manifestou aos onze discípulos e disse-lhes: "Ide pelo mundo inteiro e anunciai o Evangelho a toda criatura! Quem crer e for batizado será salvo. Quem não crer será condenado". Esta é a mesma missão que Jesus recebera do Pai. Lembremo-nos, por exemplo, quando, começando a sua vida pública depois do batismo por João Batista, Jesus inaugurou a sua pregação proclamando o Evangelho: "Cumpriu-se o tempo e o Reino está próximo. Convertei-vos e crede no Evangelho" (Mc 1,15). Agora, Jesus se despede dos seus discípulos, os envia à missão e promete-lhes o Espírito Santo. Em Atos, conforme a primeira leitura acima citada, Jesus antes de ser levado aos céus dissera aos apóstolos: "Recebereis o poder do Espírito Santo, que descerá sobre vós para serdes minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e na Samaria e até os confins da terra". Voltando a São Marcos, ele conta que "Jesus foi elevado ao céu e sentou-se à direita de Deus. E os discípulos então saíram e pregaram por toda parte. O Senhor os ajudava e confirmava sua palavra por meio dos sinais que a acompanhavam".

A missão da Igreja é cumprir este mandato do Senhor de: "Evangelizare omni creaturae" (Evangelizar toda criatura), conforme ouvimos em São Marcos. No dizer de São Mateus, evangelizar todos os povos, fazendo de homens e mulheres discípulos de Jesus, batizando-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo e ensinando-os a observar tudo quanto Jesus ordenou (cf. Mt 28,19-20).

Para cumprir esta missão a Igreja está convencida de que só poderá e saberá como evangelizar se estiver cheia do Espírito de Deus. Pois como diz São Paulo "devemos falar não para agradar aos homens, mas a Deus que põe à prova nossos corações" (1Tss 2,4). Então, precisamos nos deixar transformar pelo Espírito do Senhor. Coloquemo-nos desde agora em oração, suplicando que o Espírito Santo venha realizar na Igreja um novo Pentecostes, particularmente nesta nossa Diocese de Bauru que tem o Divino Espírito Santo como Padroeiro, e neste ano jubilar de 60 anos de sua fundação. Que o Espírito Santo derrame os seus dons e o amor de Deus sobre todos nós, fazendo-nos "Igreja em saída", sinodal, discípula e missionária que leva a toda gente e criatura a alegria do Evangelho da paz e do amor de Deus.

Oremos especialmente para que a Igreja seja o que o Papa Francisco disse que ela deve ser atualmente, conforme está consignado na "Evangelii Gaudium" (A Alegria do Evangelho): "A Igreja deve ser o lugar da misericórdia gratuita, onde todos possam sentir-se acolhidos, amados, perdoados e animados a viverem segundo a vida boa do Evangelho" (EG, 114).

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do SAMPI

Receba as notícias mais relevantes de Bauru e região direto no seu WhatsApp
Participe da Comunidade

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.