VIAJANTES PELO MUNDO

Casal de Taubaté viaja o mundo na ‘Maloca’ e já visitou 14 países: ‘Nossa casa no mundo’

Paulo e Juliani fazem as viagens em um motorhome que se tornou a casa deles

Por Xandu Alves | 01/04/2024 | Tempo de leitura: 3 min
São José dos Campos

Reprodução / Redes Sociais

Paulo e Juliani no motorhome 'Maloca'
Paulo e Juliani no motorhome 'Maloca'

Nossa casa no mundo.

É assim que o casal Paulo Felicio e Juliani Castro define a Maloca, o motorhome que os leva a viagens pelo Brasil e pelo mundo.

Acesse este link para entrar no grupo do WhatsApp de OVALE: https://chat.whatsapp.com/Cr0OaWpMsRCAOp97WpQhAD

Juntos desde 2010, o casal de Taubaté já visitou 14 países e conheceu 17 estados brasileiros em viagens regulares e capazes de enriquecer o conhecimento de ambos sobre viver (quase) como nômades.

“Para viver no motorhome tem que ter intimidade com quem está ali dentro. Ou une ou separa o casal”, afirmou Juliani ao podcast Na Veia Cast.

LEUCEMIA.

Preparando viagens pelo Vale do Paraíba para as próximas semanas e uma grande aventura pela América do Sul em 2025, Paulo e Juliani começaram a viver o sonho de conhecer o Brasil e o mundo após uma mudança brusca na vida do casal. Em 2018, Paulo foi diagnosticado com leucemia.

“Tivemos uma grande mudança na vida, que foi o começo de tudo. Em 2018, Paulo estava com leucemia e essa questão da saúde nos fez recalcular a rota e ver o que vale a pena viver”, disse Juliani.

“Eu já estava mirando a aposentadoria e o sonho do motorhome sempre foi acalentado por mim, mas essa cultura aqui no Brasil se desenvolve a passos lentos”, afirmou Paulo.

NA ESTRADA.

Segundo ele, a chegada da aposentadoria antecipou o sonho de cair na estrada. Paulo e Juliani investiram em um motorhome fabricado em Santa Branca, pela Estrella Mobil Motorhome, uma das principais fabricantes desse tipo de veículo no país.

Batizaram o veículo de Maloca e começaram a viajar pelo Brasil, postando as aventuras nas redes sociais, com dicas de viagens, campings e melhores locais para se conhecer. O perfil do casal no Instagram (viaju_mundoafora) já tem quase 20 mil seguidores.

Antes do motorhome, porém, eles também conheceram países pelo mundo de avião e outros meios de transporte. Para eles, viajar é sinônimo de viver.

Mas Paulo conta um segredo para essa relação dar certo na estrada, passando 24 horas juntos, o tempo todo: “Se você quiser estar bem casado, case com uma pessoa que goste de conversar e rir.  E ela [Juliani] ainda gosta de cantar. As viagens são divertidas”. Juliani entrega: “Minha playlist é eclética, só música brasileira, vou de brega ao gospel”.

CASA.

Não é brincadeira quando o casal diz que o motorhome é sua casa no mundo. O veículo de mais de três toneladas tem banheiro, cozinha, caixa d’água, placa solar, televisão e quarto de casal. É uma casa sobre rodas.

Segundo Paulo, é preciso ter conhecimentos básicos de mecânica e compreender a dinâmica do motorhome para não cair em enrascadas na vida nômade. O banho, por exemplo, é cronometrado: 2 minutos e 15 segundos. Isso porque a caixa d’água do veículo tem apenas 170 litros.

“Essa vida mudou a nossa cabeça para economizar tudo. Temos uma vida muito diferente. Temos geladeira de 70 litros. Temos que colocar poucos alimentos e não podemos perder nada”, disse Juliani.

O casal tem residência fixa em Taubaté porque Paulo, a cada 40 dias, tem que estar na cidade por conta do tratamento da leucemia.

No final do ano passado, eles estavam no Nordeste. Já no começo deste ano, emendaram uma passagem pelo Sul do país. Juliani postou na internet o custo dessa viagem: R$ 4.357 durante 15 dias, contando todas as despesas.

Ela e Paulo colecionam histórias divertidas, mas uma delas quase terminou em tragédia. Juliani, que não toma café, foi passar um copo para Paulo e usou a água que estava na caixa d’água do motorhome, em uma viagem pelo interior de Aracaju. No entanto, a água estava parada há três dias e ela ainda não a ferveu.

“Quase matei o Paulo por conta do café. Ele acabou no hospital. Na estrada a gente aprende que até a água pode matar”, afirmou Juliani.

Depois de sobreviver ao café da esposa, Paulo disse que a vida na estrada é um “sonho” que o casal está realizando. “Quem não sonha já morreu”, disse ele.

O casal de Taubaté mostra que ainda tem muita quilometragem a rodar nesse mundão.

Paulo e Juliani em Sergipe
Paulo e Juliani em Sergipe
Paulo ao lado da Maloca
Paulo ao lado da Maloca
A Maloca, o motorhome do casal de Taubaté
A Maloca, o motorhome do casal de Taubaté
O casal em Minas Gerais
O casal em Minas Gerais
Opção de viver na estrada se deu após diagnóstico de leucemia de Paulo
Opção de viver na estrada se deu após diagnóstico de leucemia de Paulo
O amor é uma estrada
O amor é uma estrada

Receba as notícias mais relevantes de Bauru e região direto no seu WhatsApp
Participe da Comunidade

1 COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.

  • Juliani Felicio
    01/04/2024
    É um prazer dividir nossas histórias reais dessa grande aventura com todos vcs. Obrigada pela leve reportagem.