Cultura

'Revolução prateada'

Modernas, pessoas com mais de 50 anos se sentem mais livres para se vestir como querem

13/10/2019 | Tempo de leitura: 1 min
FolhaPress

É sabido que homens e mulheres já não escolhem o pijama como roupa oficial ao chegarem perto da aposentadoria. Eles estão mais ativos e modernos. Mas isso está afetando o mercado da moda. Principalmente em relação às mulheres.

Patida Mauad, 61 anos, que trabalha na área há 34 e hoje atua como influenciadora, inspira essa geração que passou dos 50 anos e está querendo se encontrar nessa nova fase da vida, sem deixar sua identidade para trás. "Ouço muitas mulheres pelas redes sociais, e elas dizem que são criticadas por filhos e netos pelo jeito que se vestem."

Não é mais preciso ser jovem para vestir bermuda, colocar tênis e usar um decote ou um vestido mais curto, segundo a especialista. E ela afirma que mulheres dessa idade estão começando a perceber isso e a se rebelar. "Elas estão livres porque já não precisam atender aos pedidos do marido ou dos filhos e isso está se refletindo na moda", diz Mauad.

O despertar desse público já é notado pelo mercado. Segundo os organizadores da Longevidade Expo Fórum, o público "50 " já é chamado de "Revolução Prateada", em referência aos cabelos grisalhos. Um segmento com enorme potencial, que no Brasil representa mais de 50% do mercado consumidor, movimentando R$ 1,8 trilhão por ano, de acordo a Pesquisa Longevidade, feita pelo Instituto Locomotiva.

Receba as notícias mais relevantes de Bauru e região direto no seu WhatsApp
Participe da Comunidade

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.