VOLUNTÁRIOS DE BAURU

Enchentes: Voluntários levam esperança ao RS em meio à tragédia

Grupo da SOS Global partiu no dia 12 de maio e incluía três pessoas de Bauru; voluntário relata cenas e importância da iniciativa

Por Guilherme Matos | 24/05/2024 | Tempo de leitura: 3 min
da Redação

Divulgação

Grupo de voluntários da SOS Global no Rio Grande do Sul
Grupo de voluntários da SOS Global no Rio Grande do Sul

Na madrugada da segunda-feira (13 de maio), um grupo de voluntários da SOS Global partiu para uma missão humanitária em Cruzeiro do Sul, no Rio Grande do Sul, cidade vítima das enchentes devastadoras que atingem o estado desde 29 de abril. Liderados pelo promotor Enilson Komono e pelo analista de mercado Altamir Pereira Pardino, o grupo de 16 voluntários incluía três ajudantes de Bauru, 12 de Assis e um de Itatiba. Entre eles estava Maércio Anderson de Oliveira, que compartilhou com o JC suas experiências e desafios enfrentados durante a missão de oito dias.

"É uma zona de guerra. As imagens na internet e na televisão não conseguem transmitir a devastação que vimos". É assim que Maércio descreve as cenas que encontrou nas áreas atingidas.

Entre os momentos mais marcantes, ele destaca a história de Rodrigo — um bombeiro civil que, mesmo com sua casa intacta, se dedicou ao resgate de outros moradores. "Ele estava em um bote quando perceberam que tinham encontrado um 'cooler'. Quando olharam de perto, tinha um bebê morto dentro. Ele ficou bem traumatizado", conta.

Experiências como essa exigem necessariamente preparação psicológica. Enilson Komono explica que muitos voluntários têm acompanhamento profissional para lidar com os traumas antes, durante e depois dos eventos. "Com o tempo aprendemos a necessidade da pessoa estar preparada e madura emocional e fisicamente. Ela tem que estar muito firme e confiante do que está fazendo. Isso evita que os voluntários se tornem mais uma vítima no local", ressalta.

SOS GLOBAL

A missão no Rio Grande do Sul foi a terceira de Maércio, que já atuou no desastre de Mariana e Brumadinho, ambas em Minas Gerais.

A experiência, inclusive, é uma das prioridades da ONG SOS Global, que coordena missões humanitárias no mundo todo. Seus integrantes também treinam os voluntários e, por isso, quando chegam nos locais onde ocorreram tragédias, eles acabam por orientar outros ajudantes que estão mais "perdidos".

A logística da ONG também é ponto positivo, diz Komono. "Organizamos a equipe e arrecadamos fundos através de campanhas. A maioria das doações vem de pessoas físicas, pequenas quantias que somadas fazem uma grande diferença", afirma.

O grupo ainda presta contas para os doadores. Os voluntários que vão nas missões coletam notas fiscais para permitir a máxima transparência sobre o destino dos fundos recolhidos.

Justamente por essas doações é que a SOS Global também consegue investir em infraestrutura. A ONG montou cozinha industrial para apoiar os esforços de alimentação dos voluntários e moradores.

"Gastamos quase R$ 50 mil nisso, mas sabíamos que era essencial para garantir que a ajuda continuasse de forma eficiente", afirmou Enilson. Depois de deixar o local, a estrutura montada fica como doação para a entidade em que foi construída. Neste caso foi a Associação Missionária Evangélica (AME), localizada em Lajeado (RS).

A identificação desse tipo de necessidade também é fruto da experiência da SOS, explica Altamir — que há mais de 20 anos trabalha como voluntário em missões assim.

"Os coordenadores de campo nos passam relatórios explicando suas necessidades e assim identificamos que o local precisa da cozinha, por exemplo. A gente [ele e Enilson] também dá outras orientações. Explicamos o que devem fazer, o que se preocupar, aquilo que devem pensar a longo prazo etc. Mas eles também têm autonomia de tomar decisões no local", explica. A equipe enfrentou vários desafios, como o frio intenso e a lama que tomava conta das áreas afetadas. No entanto, a recepção calorosa da comunidade local foi um alento. "As pessoas nos chamavam de anjos e demonstravam muita gratidão", disse Maércio.

A SOS Global realizará uma capacitação para interessados em atuar no voluntariado. O evento ocorrerá no dia 30 de maio, em Santo André (SP). Mais informações: (32) 99814-9604.

Grupo também ajuda as crianças nos desastres (crédito: Divulgação)
Grupo também ajuda as crianças nos desastres (crédito: Divulgação)

Fale com a Folha da Região! Tem alguma sugestão de pauta ou quer apontar uma correção? Clique aqui e fale com nossos repórteres.

Receba as notícias mais relevantes de Araçatuba e região direto no seu WhatsApp
Participe da Comunidade

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.