SAÚDE

São Paulo registra 221 mortes por dengue

Até o momento, a cidade de São Paulo registrou a maior quantidade de óbitos (33), seguida por Guarulhos (15), na região metropolitana, Taubaté (12) e Jacareí (12)

07/04/2024 | Tempo de leitura: 2 min
da Folhapress

Pixabay

Itaquera é um dos distritos do município com a maior incidência de dengue
Itaquera é um dos distritos do município com a maior incidência de dengue

O estado de São Paulo atingiu o número de 221 mortes por dengue, segundo dados do painel de monitoramento da Secretaria Estadual da Saúde deste domingo (7). Outros 495 óbitos estão em investigação. Dos casos de dengue, 5.483 apresentaram sinal de alarme e 567 evoluíram com gravidade.

Os sinais de alarme são dor abdominal intensa e contínua, vômitos persistentes, sangramento de mucosas, queda de pressão arterial, aumento do tamanho do fígado, letargia ou irritabilidade, acúmulo de líquidos em cavidades corporais (ascite, derrame pleural, derrame pericárdico), aumento progressivo do hematócrito e hipotensão postural (tontura ao levantar) e indicam agravamento do quadro.

Até o momento, a cidade de São Paulo registrou a maior quantidade de óbitos (33), seguida por Guarulhos (15), na região metropolitana, Taubaté (12) e Jacareí (12).

O Brasil vive uma epidemia de dengue sem precedentes. Nesta quarta (3), o país chegou a 1.020 mortes, com outros 1.531 óbitos em investigação e 2.671.332 casos prováveis da doença contabilizados em 2024. Durante todo o ano passado, o país registrou 1.079 mortes por dengue.

Mesmo enfrentando uma epidemia, o país apresenta uma baixa procura pela vacinação. O Ministério da Saúde recomenda a imunização de crianças de 10 a 14 anos contra a dengue no Brasil, de acordo com critérios de recomendação também da OMS (Organização Mundial da Saúde).

Na última quinta-feira (4), o município de São Paulo iniciou a vacinação contra a dengue. O quantitativo disponibilizado de doses, porém, é insuficiente para todo o público-alvo. Foram disponibilizadas 185 mil doses pelo Ministério da Saúde para a vacinação em São Paulo.  A quantidade disponível hoje, se completamente utilizada, só contemplará 0,95% do público-alvo da cidade.

A restrição da idade se deve, justamente, ao número escasso de doses. As já disponíveis chegaram à cidade após a redistribuição de imunizantes não utilizados no município de Mogi das Cruzes, na região metropolitana de São Paulo. A estratégia foi pensada pelo Ministério da Saúde para evitar o desperdício do lote que vence no dia 30 de abril, após uma baixa adesão da vacinação. Ainda não há previsão exata de quando as novas doses vão chegar, segundo o secretário municipal de Saúde, Luiz Carlos Zamarco, mas é esperado que "nos próximos dias".

A Prefeitura afirma ter enviado quatro ofícios ao Ministério da Saúde solicitando vacinas, dos quais três foram ignorados. Em nota divulgada na noite de sexta-feira (5), o município de São Paulo informou que foram aplicadas 1.098 doses da vacina. O imunizante só está disponível no momento nas UBSs (Unidades Básicas de Saúde) de Itaquera, zona leste, e Jaguara, zona oeste.

Itaquera é um dos distritos do município com a maior incidência de dengue. Dados da Secretaria Municipal de Saúde, divulgados até o último dia 1º, indicavam 2.131,8 casos por 100 mil habitantes.

Fale com a Folha da Região! Tem alguma sugestão de pauta ou quer apontar uma correção? Clique aqui e fale com nossos repórteres.

Receba as notícias mais relevantes de Araçatuba e região direto no seu WhatsApp
Participe da Comunidade

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.