PARALISAÇÃO

Professores estaduais ameaçam greve por reajuste salarial

Assembleia da Apeoesp vai decidir se professores vão entrar em greve ou não

Por Roberto Gardinalli | 23/05/2024 | Tempo de leitura: 2 min
roberto.gardinalli@jpjornal.com.br

Divulgação

A Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo) vai fazer uma assembleia na sexta-feira (24) para debater com os professores da rede estadual de ensino os rumos da campanha salarial de 2024, e uma eventual greve caso as reivindicações não sejam atendidas pelo governo de São Paulo. A assembleia, que já vai contar com uma paralisação da categoria, será realizada em frente ao Masp, na Avenida Paulista, em São Paulo Capital.

Saiba mais

De acordo com a Apeoesp, até agora, o governo estadual não sinalizou nenhuma movimentação nas negociações do reajuste salarial. Além disso, o sindicato cita que vai protestar “em defesa do magistério paulista”. Após o ato na avenida Paulista, o grupo seguirá em passeata até a Praça da República, onde continuará o protesto na frente da sede da Secretaria Estadual de Educação. A data-base da categoria é março.

Para a segunda presidente da Apeoesp e deputada estadual Professora Bebel (PT),  é fundamental a participação do professorado, “É preciso preparar a greve em defesa do emprego, salário e direitos”, disse. A decisão de realizar assembleia para debater uma greve da categoria foi aprovada por mais de 10 mil professores em assembleia no último dia 26 de abril.

Segundo a Apeoesp, na pauta da assembleia estão a luta contra o fim do autoritarismo e assédio moral, contra o corte de verbas da educação, por reajuste salarial, com aplicação do reajuste do piso nacional no salário base, assim como pela garantia de emprego, salário, direitos e atribuição justa para os professores temporários.

A Apeoesp também reivindica a convocação de 100 mil professores do último concurso público estadual, assim como a aplicação correta da lei das APDs, a revogação da reforma do ensino médio, a liberdade de ensinar e aprender, não à digitalização do processo ensino-aprendizagem e a devolução dos valores descontados de aposentados e pensionistas, em função da reforma previdenciária estadual.

Clique para receber as principais notícias da cidade pelo WhatsApp.

Siga o Canal do JP no WhatsApp para mais conteúdo.

Receba as notícias mais relevantes de Vale Do Paraíba e região direto no seu WhatsApp
Participe da Comunidade

8 COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.

  • Luiz Alberto Voltan
    25/05/2024
    Na minha opinião devem sentar e conversar....deveria ser reposição automática a cada início de ano...trabalhador paga para ter aposentadoria e esse desconto em cima de aposentado é INJUSTO
  • RICARDO AUGUSTO
    24/05/2024
    Todos os órgãos públicos recebem vale refeição ou alimentacao miitas vezes os dois. Gistaria de saber porquê o Sidicato não luta para que possamos receber o vale refeição ou alimentação, pois somos proibidos de comer a péssima refeição dada nas escolas públicas. É uma vergonha, semente a Secretária da Educação não tem esse direito isso é um absurdo e o Sidocato nada faz. O Sindicato tem advogados para lutar pelos nossos direitos é vergonhoso somente a Educação não ter esse direito. É muito engraçado um Governador chega e fala estou dando 70^ de aumento kkkk, eu ganhava 2.400,00 por estar no PEI de gratificação e o Governador estipula que todos irão passar a receber 2.000,00 e fim de papo e diz que deu 70% e o Sicicato fica quietinho e tudo bem. Será que esse Sindicato que pago a 34 anos, trabalha para os Governadores. Agora tenho certeza que todos os Professores, Diretores, Supervisores parassem e se mandassem, qualquer Professor, Diretor e Supevisores embora ou removidos de seus cargos, ninguém voltaria as escola. Queria ver o que esse Secretário larápio e Governador aproveitador e ditador iria fazer, sendo que professores estão em extinção .
  • Basilio Vieira de Camargo Neto
    24/05/2024
    E quando será a melhor hora para fazer uma greve na minha opinião a culpa é da corrupção e das pessoas que votaram nesse governo do estado os professores são mal pagos e a qualidade do ensino e ruim está pior que na minha época e olha que naquela época ja nao estava Boa
  • Falsa Democracia
    24/05/2024
    Curiosamente na época da Ditadura Professor Estadual ganhava aproximadamente igual Juiz de Direito. Estranhamente nos dias de hoje, em pleno regime Democrático (para Inglês ver) Professor Estadual ganha aproximadamente o equivalente a 5 por cento do rendimento médio de Juiz de Direito, incluindo os penduricalhos. Isso é Democracia. Na minha opinião, ambas as carreiras são relevantes, de Professor e de Juiz, e ambas merecem boa remuneração, inclusive Professor
  • CLEMILDO Demetrio Arcari
    24/05/2024
    O momento não é de fazer GREVE. APEOESP tem que pensar nas consequências. Tudo que foi acordado com o Governo foi cumprido. Para que confusão?????? Infelizmente são os profissionais da educação que são prejudicados. APEOESP???????? Cautela e respeito
  • Andréia Rodrigues Garcia
    24/05/2024
    Piso Profissional do Magistério e cumprir a Lei LDB e Estatutária com Municípios e o Estados com a Federação .
  • João SP
    23/05/2024
    APEOESP quer fazer política, juntar gado e depois eleger seus membros em eleições municipais. Onde que governo vai colocar 100 mil professores do concurso? Qualquer um com mínimo QI sabe que é conversa mole. São 5 mil escolas estaduais, vai convocar cerca de 20 por escola? Kkkk e sobre salário: já tá fechado o percentual do governo, só não divulgaram ainda para fazer política com APEOESP. Todo sindicato faz igual. Aposto que não vai ter greve, se tiver é no máximo 1 dia.
  • MARCOS LUIS DE LACERDA
    23/05/2024
    Esse sindicato não me representa. E nem a metade da categoria dos professores