Um portal afiliado à rede

Um portal afiliado à rede

07 de dezembro de 2022

RECEITA

RECEITA

Veggie Sandwich

Veggie Sandwich

A qualidade do pão é essencial para que qualquer sanduíche, frio ou quente, fique delicioso. O pão precisa estar crocante, nada de pão molengo.

A qualidade do pão é essencial para que qualquer sanduíche, frio ou quente, fique delicioso. O pão precisa estar crocante, nada de pão molengo.

Por Sonia Machiavelli | 02/04/2022 | Tempo de leitura: 3 min
especial para o GCN

Por Sonia Machiavelli
especial para o GCN

02/04/2022 - Tempo de leitura: 3 min

Ingredientes

  • 1 pão ciabata

Recheio

  • ½ cebola roxa pequena
  • 1 tomate maduro, mas firme
  • 1 avocado 
  • 4 folhas de alface
  • Sal e pimenta a gosto
  • Maionese de cenoura
  • 1 cenoura média
  • 1 batata pequena
  • ½ limão
  • Sal e pimenta a gosto
  • Azeite quanto baste

No que diz respeito à escolha sobre o que comer, vegetarianos fazem opção por retirar de sua dieta carnes vermelhas. Mas muitos deles consomem peixe, ovos, leite e derivados. Já os veganos são mais radicais. Adotam dieta estritamente à base de vegetais e suas escolhas não se restringem à alimentação. Elas implicam mudanças de atitude no dia a dia, pois têm como meta o combate a todas as formas de exploração animal. Ou seja, além de manter um cardápio específico, não usam roupas feitas com couro; não compram cosméticos de empresas que fazem testes com animais; não frequentam lugares como zoológicos e circos.

O número de pessoas que declaram comer diariamente pratos vegetarianos ou veganos tem crescido no mundo. É cada vez maior a quantidade de lojas e restaurantes especializados em produtos sem origem animal. Um forte movimento internacional ganha milhares de adeptos. Chama-se “Segunda-feira sem Carne” e incentiva o consumo de vegetais.

No Brasil não há um estudo específico sobre o veganismo, mas pesquisa do Ibope feita em 2018 informou que 14% da população se declarou vegetariana. Esse número cresceu 75% em comparação com dados de seis anos atrás. Hoje, são cerca de 30 milhões, quase 10% da população, a maioria formada por jovens.

Comida vegetariana pode ser boa, contrariando os que torcem o nariz à ausência de carne. Os sanduíches, por exemplo, ficam ótimos. Desde os anos 60, especialmente nos EUA, movimentos da contracultura se rebelaram contra produtos industrializados e pediram a valorização dos orgânicos, elegendo grãos, frutas, verduras e folhas em suas dietas. Era bem mais que uma nova moda; era um conceito que abrangia saúde, liberdade e vida (inclusive a dos animais). Os McDonald´s, os Burguer King e outros sanduíches com recheios industrializados e embutidos ricos em sódio ainda continuariam dominando o mercado norte-americano e outros, inclusive o brasileiro. Mas vieram caindo nos últimos anos, graças a intervenções de chefs, culinaristas, cozinheiros, nutricionistas, médicos e outros profissionais da saúde.

Tenho preparado sanduíches vegetarianos e veganos que resgatei de uma publicação que comprei há dez anos em Nova York. Gostei de todos até agora. Este da foto é feito no pão ciabata. Aliás, a qualidade do pão é essencial para que qualquer sanduíche, frio ou quente, fique delicioso. O pão precisa estar crocante, nada de pão molengo. Dentro vão maionese de cenoura, cebola roxa, tomates, abacate e alface. Leve, delicioso.

Corte a cebola roxa em plumas e tempere com sal, pimenta-do-reino e vinagre, obtendo um tipo de picles. Lave bem o tomate, retire as sementes, corte em cubinhos e tempere com sal. Corte as folhas de alface em tiras bem finas. Descasque o avocado, despreze o caroço e pique em pedacinhos.  Bata a maionese no liquidificador: a cenoura cozida em rodelas, a batata cozida em cubos, o suco de meio limão, pitada de sal e azeite. Coloque tudo no liquidificador e vá batendo, enquanto despeja lentamente o azeite em fio sobre a mistura, até chegar ao ponto de molho espesso.

Monte o sanduíche. Abra a ciabata ao meio. Passe uma boa porção de maionese de cenoura nas metades. Sobre uma coloque o tomate previamente temperado. Depois as fatias de avocado.  Em seguida o picles de cebola. Por fim, as tiras de alface. Feche o sanduíche, corte ao meio e sirva acompanhado de suco de frutas. Mais saudável não há.

Ingredientes

  • 1 pão ciabata

Recheio

  • ½ cebola roxa pequena
  • 1 tomate maduro, mas firme
  • 1 avocado 
  • 4 folhas de alface
  • Sal e pimenta a gosto
  • Maionese de cenoura
  • 1 cenoura média
  • 1 batata pequena
  • ½ limão
  • Sal e pimenta a gosto
  • Azeite quanto baste

No que diz respeito à escolha sobre o que comer, vegetarianos fazem opção por retirar de sua dieta carnes vermelhas. Mas muitos deles consomem peixe, ovos, leite e derivados. Já os veganos são mais radicais. Adotam dieta estritamente à base de vegetais e suas escolhas não se restringem à alimentação. Elas implicam mudanças de atitude no dia a dia, pois têm como meta o combate a todas as formas de exploração animal. Ou seja, além de manter um cardápio específico, não usam roupas feitas com couro; não compram cosméticos de empresas que fazem testes com animais; não frequentam lugares como zoológicos e circos.

O número de pessoas que declaram comer diariamente pratos vegetarianos ou veganos tem crescido no mundo. É cada vez maior a quantidade de lojas e restaurantes especializados em produtos sem origem animal. Um forte movimento internacional ganha milhares de adeptos. Chama-se “Segunda-feira sem Carne” e incentiva o consumo de vegetais.

No Brasil não há um estudo específico sobre o veganismo, mas pesquisa do Ibope feita em 2018 informou que 14% da população se declarou vegetariana. Esse número cresceu 75% em comparação com dados de seis anos atrás. Hoje, são cerca de 30 milhões, quase 10% da população, a maioria formada por jovens.

Comida vegetariana pode ser boa, contrariando os que torcem o nariz à ausência de carne. Os sanduíches, por exemplo, ficam ótimos. Desde os anos 60, especialmente nos EUA, movimentos da contracultura se rebelaram contra produtos industrializados e pediram a valorização dos orgânicos, elegendo grãos, frutas, verduras e folhas em suas dietas. Era bem mais que uma nova moda; era um conceito que abrangia saúde, liberdade e vida (inclusive a dos animais). Os McDonald´s, os Burguer King e outros sanduíches com recheios industrializados e embutidos ricos em sódio ainda continuariam dominando o mercado norte-americano e outros, inclusive o brasileiro. Mas vieram caindo nos últimos anos, graças a intervenções de chefs, culinaristas, cozinheiros, nutricionistas, médicos e outros profissionais da saúde.

Tenho preparado sanduíches vegetarianos e veganos que resgatei de uma publicação que comprei há dez anos em Nova York. Gostei de todos até agora. Este da foto é feito no pão ciabata. Aliás, a qualidade do pão é essencial para que qualquer sanduíche, frio ou quente, fique delicioso. O pão precisa estar crocante, nada de pão molengo. Dentro vão maionese de cenoura, cebola roxa, tomates, abacate e alface. Leve, delicioso.

Corte a cebola roxa em plumas e tempere com sal, pimenta-do-reino e vinagre, obtendo um tipo de picles. Lave bem o tomate, retire as sementes, corte em cubinhos e tempere com sal. Corte as folhas de alface em tiras bem finas. Descasque o avocado, despreze o caroço e pique em pedacinhos.  Bata a maionese no liquidificador: a cenoura cozida em rodelas, a batata cozida em cubos, o suco de meio limão, pitada de sal e azeite. Coloque tudo no liquidificador e vá batendo, enquanto despeja lentamente o azeite em fio sobre a mistura, até chegar ao ponto de molho espesso.

Monte o sanduíche. Abra a ciabata ao meio. Passe uma boa porção de maionese de cenoura nas metades. Sobre uma coloque o tomate previamente temperado. Depois as fatias de avocado.  Em seguida o picles de cebola. Por fim, as tiras de alface. Feche o sanduíche, corte ao meio e sirva acompanhado de suco de frutas. Mais saudável não há.

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.