MAU COMPORTAMENTO

Aluna é afastada após jogar cadeira e morder diretora de escola

Por Priscilla Andrade | da Redação
| Tempo de leitura: 2 min
Reprodução
Escola Estadual 'Professora Ester Eunice', em Penápolis, foi palco de agressões e manifestação de alunos que pediam paz e mais segurança
Escola Estadual 'Professora Ester Eunice', em Penápolis, foi palco de agressões e manifestação de alunos que pediam paz e mais segurança

Uma cadeirada e uma mordida na mão. Essas foram as agressões cometidas por uma estudante de uma escola estadual de Penápolis, a 52 km de Araçatuba. A aluna foi temporariamenre afastada da unidade de ensino.

O caso ocorreu na quinta-feira, 6. E, nesta quarta-feira, 12, a Secretaria Estadual de Educação do Estado de São Paulo (Seduc-SP) confirmou à reportagem da Folha da Região que, após a agressão, a escola acionou o Conselho Tutelar e Polícia Militar.

A reportagem apurou que os fatos ocorreram na Escola Estadual "Professora Ester Eunice", no bairro Cidade Jardim, em Penápolis, e que só veio à tona após um ato simbólico realizado pelos alunos. Os estudantes fizeram uma manifestação esta semana pedindo mais segurança e paz na comunidade escolar.

A aluna - que não teve informações sobre idade ou período em que estuda divulgadas - estaria atrapalhando a aula e que teria sido advertida pela professora, foi quando teria iniciado uma discussão entre as duas. Como a situação estava acalorada, a diretora foi informada e se dirigiu até a sala de aula e, ao tentar controlar a situação, foi agredida pela aluna, que a mordeu e jogou uma carteira escolar contra ela.

Consta ainda que a aluna tentou agredir outros funcionários e só foi contida com a chegada da Polícia Militar. A nota da Seduc-SP enviada para a reportagem informa que a diretora - que recebeu a mordida em uma das mãos - foi encaminhada para o pronto-socorro da cidade, onde recebeu atendimento médico e, na manhã desta quarta-feira, retornou para as atividades normais.

Leia a nota na íntegra:

"A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo (Seduc-SP) lamenta o ocorrido. Prontamente a equipe de gestão da escola prestou todo suporte aos estudantes, o Conselho Tutelar e os responsáveis pela estudante foram acionados, as equipes da Polícia Militar prestaram apoio e a servidora foi atendida no pronto-socorro, já tendo retornado normalmente ao trabalho. A aluna foi temporariamente afastada e é acompanhada pelo Conselho Tutelar. A escola dará continuidade nas ações direcionadas para o fortalecimento do ambiente escolar positivo, solidário, integrado e acolhedor com apoio da equipe regional do Programa de Melhoria da Convivência e Proteção Escolar (Conviva) e profissional do Programa Psicólogos da Educação. A escola está à disposição dos responsáveis e da comunidade escolar para mais esclarecimentos".

Nota enviada à reportagem da Folha da Região
Nota enviada à reportagem da Folha da Região

Fale com o Folha da Região!
Tem alguma sugestão de pauta ou quer apontar uma correção?
Clique aqui e fale com nossos repórteres.

Comentários

Comentários