TRAGÉDIA

Cabo morto por engano por outro PM levou 7 tiros

Polícia Militar e o DHPP investigam a morte do cabo Rahoney de Paula Vieira, de 31 anos

Por Da redação | 02/04/2024 | Tempo de leitura: 3 min
São José dos Campos

Reprodução / Redes Sociais

Rahoney fazia parte de unidade de elite da PM de São Paulo
Rahoney fazia parte de unidade de elite da PM de São Paulo

O cabo da Polícia Militar Rahoney de Paula Vieira, 31 anos, foi morto após apontar uma arma para um motorista de aplicativo e levar sete tiros, disparados por outro policial militar, que não reconheceu Rahoney, que estava numa moto e à paisana. Ele deixa esposa e um filho.

Clique aqui para fazer parte da comunidade de OVALE no WhatsApp e receber notícias em primeira mão. E clique aqui para participar também do canal de OVALE no WhatsApp.

O caso aconteceu durante uma ação de patrulhamento na Vila Andrade, na zona sul de São Paulo, na última sexta-feira (29). Rahoney era policial militar desde 2014 e fazia parte do COE (Centro de Operações Especiais), batalhão especial da polícia.

Segundo o boletim de ocorrência, dois policiais militares estavam em uma viatura quando avistaram um homem de capacete apontando a arma para um carro, e interpretaram a situação como um assalto. Um dos policiais atirou e acertou sete disparos no então suspeito.

Após ser baleado, o homem se identificou como Rahoney, cabo da PM. Ao reconhecer a vítima, o outro policial da viatura notou que ambos haviam trabalhado juntos no mesmo batalhão, oito anos antes. O cabo foi socorrido, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Uma gravação de vídeo feita por moradores da Vila Andrade mostra o desespero dos policiais militares ao descobrirem que haviam atirado por engano no cabo PM.

INVESTIGAÇÃO.

Ambos os policiais da viatura usavam câmeras corporais. As imagens auxiliarão na investigação da ocorrência.

A SSP (Secretaria da Segurança Pública) de São Paulo afirmou que a Polícia Militar e o DHPP (Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa) investigam “todas as circunstâncias” que envolvem a morte do policial.

A pasta confirmou que “um dos policiais do patrulhamento” foi quem atirou contra o colega de farda, mas sem especificar qual deles efetuou o disparo. O caso é investigado como morte decorrente de intervenção policial.

O que se sabe sobre a morte de Rahoney é que ele estava de folga, dirigia uma moto e abordou o carro na rua, talvez achando se tratar de uma atitude suspeita.

MOTORISTA.

O motorista do aplicativo disse que estava tendo problemas com o GPS do app e, por isso, estava dando voltas na região.

Em depoimento à polícia, ele disse que estava fazendo uma manobra para retornar a uma rua quando foi surpreendido pelo policial com a arma em punho. Segundo o motorista, não houve qualquer discussão prévia no trânsito entre eles.

Ele contou que aguardava o sinal abrir na rua Maria José da Conceição e veículos liberarem a passagem para virar à direita, quando um homem teria parado ao seu lado, arma em punho, dizendo “vai, vai, vai”. Na sequência, o motorista teria ouvido os disparos.

“O declarante esclarece que viu aquele indivíduo apenas no momento que ele sacou a arma, não havendo qualquer tipo de discussão de trânsito entre eles antes da abordagem”, declarou o motorista à polícia, segundo trecho do boletim de ocorrência divulgado pela Folha de S.Paulo.

HOMENAGEM.

Em uma postagem nas redes sociais, o Batalhão de Operações Especiais lamentou a morte do policial.

“A família polícia militar lamenta, com profundo pesar, a perda de nosso companheiro. Somos gratos por todo legado deixado. Nesse momento de dor, unimos nossos sentimentos aos familiares e elevamos nossos pensamentos a Deus rogando-lhe que, por meio de seu grande amor, possa consolar os corações e curar as feridas dessa separação”, diz a mensagem.

A mulher do policial também se manifestou nas redes sociais. "Vou te amar para sempre”, escreveu ela. Os amigos também deixaram comentários na publicação.

Receba as notícias mais relevantes de Vale Do Paraíba e região direto no seu WhatsApp
Participe da Comunidade

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.