CENSO 2022

Capital da fé no Brasil, Vale tem duas vezes mais igrejas do que escolas

Dados do Censo 2022 com as atividades foram divulgados pela primeira vez pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística)

Por Xandu Alves | 12/02/2024 | Tempo de leitura: 3 min
São José dos Campos

Divulgação

RMVale é a capital da fé popular do Brasil
RMVale é a capital da fé popular do Brasil

Capital da fé popular no Brasil, o Vale do Paraíba tem uma igreja ou templo religioso para cada grupo de 500 habitantes. É o dobro da taxa das escolas na região, que têm uma unidade para cada parcela de mil habitantes.

Faça parte do canal de OVALE no WhatsApp e receba as principais notícias da região! Acesse: https://whatsapp.com/channel/0029VaDQJAL4tRs1UpjkOI1l

É o que mostra levantamento de OVALE com base em dados do Censo 2022 divulgados pela primeira vez pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

A região conta com 5.486 estabelecimentos religiosos (igrejas, templos e outros), com uma taxa de 218,94 unidades para cada grupo de 100 mil habitantes, abaixo da média nacional de 286 para cada 100 mil.

O número considera espaços com finalidades religiosas, independente de qual seja a crença. Isso inclui igrejas, sinagogas, templos, centro espíritas e terreiros, por exemplo.

Já os estabelecimentos de ensino (escolas, creches, universidades) somaram 2.516 unidades no Vale, com taxa de 100,41 por 100 mil, 118% abaixo da taxa das igrejas e também aquém da média nacional, que é de 130 por 100 mil.

Em números absolutos, a região tem 2.970 igrejas e templos a mais do que escolas.

O IBGE também levantou o número de estabelecimento de saúde (hospitais, clínicas, unidades básicas) na região: 3.801 unidades, 151,69 para cada 100 mil e, neste caso, acima da média nacional de 122 por 100 mil.

Também o número de igrejas é maior do que o de unidades de saúde, superando em 1.685 espaços.

O levantamento do IBGE leva em conta a utilização final do imóvel, e não a administração do estabelecimento. Uma escola católica conta como uma unidade de educação, e não religiosa. O mesmo vale para hospital mantido por Santa Casa, que é contabilizado como atividade de saúde.

A localização desses pontos e o tipo de utilização foram capturados por meio de georreferenciamento durante visitas dos recenseadores nos 5.568 municípios brasileiros. Foi a primeira vez em que o instituto identificou a localização precisa e o tipo de finalidade de todos os endereços do país.

CIDADES.

No Vale, as cidades de Arapeí (10 unidades por mil habitantes), Natividade da Serra (8,29) e Monteiro Lobato (6,52) são as que têm a maior taxa de igrejas por morador. No lado oposto, Taubaté (1,83 por mil), Cruzeiro (1,60) e São José dos Campos (1,52) têm menos unidades religiosas por habitante na região.

No ranking de escolas por morador, São José do Barreiro é a de maior taxa no Vale, com 4,67 por mil, seguida de Cunha (3,71) e Areias (3,08). As menores taxas estão em Potim (0,69), Tremembé (0,66) e Lagoinha (0,59).

Entre os grandes municípios, considerando a taxa por 100 mil, Taubaté tem 95,90 escolas por cada grupo de 100 mil habitantes, Jacareí tem 84 e São José dos Campos, 78,62 – as três cidades estão abaixo da média nacional, de 130 por 100 mil.

Na RM Campinas, a taxa de igrejas é menor do que a do Vale, com 156,99 igrejas por 100 mil habitantes e 88,21 escolas por 100 mil. A região conta com 4.990 igrejas e templos e 2.804 unidades de ensino, com 2.186 igrejas a mais do que escolas. As unidades de saúde somaram 4.164 – 826 a menos do que igrejas.

A cidade de Campinas tem 163 igrejas por 100 mil habitantes, somando 1.863 unidades religiosas e 1.096 para ensino (767 a mais para as igrejas), além de 1.737 unidades de saúde. As escolas tiveram taxa de 96,22 por 100 mil e os hospitais, de 152,50 por 100 mil.

Receba as notícias mais relevantes de Vale Do Paraíba e região direto no seu WhatsApp
Participe da Comunidade

1 COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.

  • Carlos Vagner Pereira Dias
    12/02/2024
    Capital da fé e do dinheiro. Haja dinheiro para essas igrejas, hein?! Tô fora!!!!