IMPUNE

'Sem justificativa': saiba por que juíza negou pedido de prisão do empresário do Porsche

Para a magistrada plantonista, é cedo dizer que houve homicídio com dolo eventual, considerando que as investigações ainda estão em curso.

02/04/2024 | Tempo de leitura: 1 min
da Redação

Reprodução/Metrópoles

A Polícia Civil não explicou a necessidade da prisão e se limitou a destacar a gravidade dos fatos e a repercussão pública do caso, disse a juíza.
A Polícia Civil não explicou a necessidade da prisão e se limitou a destacar a gravidade dos fatos e a repercussão pública do caso, disse a juíza.

Na segunda-feira (1º), a juíza plantonista Fernanda Helena Benevides Dias, do TJSP (Tribunal de Justiça de São Paulo), indeferiu o pedido de prisão temporária contra o empresário Fernando Sastre Filho, de 24 anos, indiciado pelo acidente que matou um motorista de aplicativo na madrugada do Domingo de Páscoa, em São Paulo.

Leia também: Polícia pede prisão do empresário do Porsche que matou trabalhador em acidente; VÍDEO

Na decisão, obtida pelo Metrópoles, a magistrada reconheceu "a gravidade dos acontecimentos", mas alegou que a Polícia Civil não explicou a necessidade da prisão e se limitou a destacar a gravidade dos fatos e a repercussão pública do caso.

Embora o MPSP (Ministério Público de São Paulo) tenha recomendado a prisão, a juíza afirmou só deve ser decretada quando há o cumprimento de requisitos específicos, como a falta de endereço fixo do suspeito ou a possibilidade de atrapalhar a investigação.

O portal apurou que a juíza mencionou o fato de Fernando Filho ter se apresentado voluntariamente à delegacia e se colocado à disposição para esclarecimentos, e que não há evidências concretas de que ele estaria obstruindo as investigações.

Para ela, é cedo dizer que houve homicídio com dolo eventual, já que as investigações ainda estão em curso.

1 COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.

  • Alex Gonçales
    03/04/2024
    Normal, sem novidades! País de merda! A questão é simples, se fosse alguém próximo da juíza, ele estaria preso! Se fosse um pobre, negro, que tivesse batido em alguma família rica, já era tb!!! Resumindo, os pares se protegem! Safadeza, juíza desqualificada, sem noção...