REPERCUTIU

Veja repercussão da fala de Lula sobre holocausto na imprensa internacional

A declaração de Lula comparando a Guerra Israel-Hamas com o Holocausto nazista repercutiu em boa parte da imprensa internacional.

19/02/2024 | Tempo de leitura: 2 min
da Folhapress

Marcelo Camargo/Agência Brasil

Parte da imprensa estrangeira classificou falas de Lula como 'um polêmico incidente diplomático'
Parte da imprensa estrangeira classificou falas de Lula como 'um polêmico incidente diplomático'

A declaração de Lula comparando a Guerra Israel-Hamas com o Holocausto nazista repercutiu em boa parte da imprensa internacional, que em geral descreveu o posicionamento do presidente como "um polêmico incidente diplomático" que causou um "enorme mal-estar" na diplomacia brasileira.

Após ser declarado persona non grata em Israel, o petista repetiu o gesto da diplomacia israelense e, por meio de seu chanceler, Mauro Vieira, convocou o embaixador do país no Brasil para demonstrar insatisfação. Lula também convocou o embaixador do Brasil em Israel de volta "para consultas", o que foi lido por muitos veículos estrangeiros, como o New York Times, como uma escalada na crise entre os países.

As publicações mais duras em relação à fala do presidente, presumivelmente, partiram da imprensa de Israel. Em um podcast do jornal Times of Israel, o correspondente de assuntos diplomáticos Lazar Berman disse que a fala de Lula foi "ignorante, na melhor das hipóteses". Depois, em um texto no mesmo veículo, Berman reportou que um funcionário do governo israelense teria dito a ele que, após a reprimenda pública no Museu do Holocausto em Tel Aviv, o embaixador brasileiro Frederico Meyer "pareceu ter internalizado a mensagem".

Outra publicação israelense, o Israel Hayom, disse que "a situação prejudicou ainda mais as relações entre os países, que se deterioraram desde que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou ao cargo no ano passado". O veículo escreveu que Lula "se diz um líder do 'Sul Global', um grupo vagamente definido de países em desenvolvimento". Ao mesmo tempo, o YNet News descreveu a declaração de Lula como "de dureza extraordinária".

Na Europa, o correspondente brasileiro do jornal francês Le Monde disse que a viagem de Lula à Etiópia, que poderia ter sido "uma volta no parque, rapidamente se transformou em um polêmico incidente diplomático", e o alemão Die Welt chamou a declaração de Lula de "comparação questionável". Em sua homepage para as Américas, o espanhol El País manteve em destaque Lula como "persona non grata" em Israel.

O português Público destacou em sua homepage que Lula está "proibido de entrar em Israel depois de comparar guerra em Gaza ao Holocausto" -na verdade, não há uma proibição de fato, mas uma série de embaraços em eventuais viagens do brasileiro ao país.

O britânico The Guardian publicou a história apenas no seu liveblog dedicado à crise no Oriente Médio, destacando a publicação de um correspondente do israelense Jewish Insider, segundo o qual a reprimenda de Israel ao embaixador brasileiro "subiu um nível" por ter acontecido de maneira "não usual" -fora da chancelaria e com a presença da imprensa.

Reproduzindo um material publicado pela agência de notícias EFE, o argentino Clarín disse que a reprimenda a Meyer no Museu do Holocausto causou um "enorme mal-estar" na diplomacia brasileira, e chamou a convocação do embaixador em Tel Aviv de "escalada na tensão diplomática entre Brasil e Israel". Nos Estados Unidos, o The New York Times também considerou a convocação do embaixador brasileiro uma "escalada" na tensão entre os países.

5 COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.

  • jaques campos
    20/02/2024
    A faixa de Gaza e um grande campo de concentração, em que tudo e controlado pelo estado de Israel. Por isso a comparação de Lula e integralmente pertinente, pois as autoridades israelense tem obrigado os palestinos a se deslocarem para locais pre determinados para depois bombardea-los. Tem por isso grande semelhança com o holausto cometido pelos nazistas.
  • Gilda
    20/02/2024
    Estão usando a fala desse cara de acordo com a conveniência. Quem fez arminha que enfie onde quiserem, mas que Lula está certo no que disse, ele está! Israel que aguarde os futuros terroristas do futuro, crianças estas hj, que eles estão tirando a vidas dos seus pais aumentando O ódio entre eles. Não existe nada demais no que ele disse. É verdadeiro e as consequências virão.
  • Gerdasio
    20/02/2024
    Pra mim, ele não falou nada demais e digo mais, Israel tá criando seus próprios terroristas fazendo o que está fazendo... ninguém mais será responsável pelo o terrorismo que a própria Israel! Se uma criança inocente perdeu toda a família por causa dos ataques de Israel, estas crianças crescerão revoltadas e se forem abduzidas pelo o Hamas, serão os próximos terroristas... É uma questão de lógica. Enfiem a arminha de vcs, onde quiserem, mas o L tem razão!
  • Sandro
    20/02/2024
    PERSONA NON GRATA
  • Carlos
    20/02/2024
    Vergonha mundial.