RESTRIÇÃO

Supermercado de Franca passa a limitar compra de arroz

A rede de Supermercados Savegnago informou, em nota, estar empenhada em manter o abastecimento normal de arroz para todos os seus clientes.

Por Tiago Vieira | 13/05/2024 | Tempo de leitura: 1 min
da Redação

Tiago Vieira/GCN

Rede limita a compra a seis pacotes de arroz por cliente
Rede limita a compra a seis pacotes de arroz por cliente

A rede de supermercados Savegnago passou a limitar em Franca a venda de pacotes de arroz, sendo seis por cliente, devido às chuvas no Rio Grande do Sul que podem impactar a oferta do produto.

Em nota, a assessoria de imprensa da rede de supermercados informou estar empenhada em manter o abastecimento normal de arroz para todos os seus clientes, devido à situação do Rio Grande do Sul, que gerou alta demanda de doações. E lembra que o Estado é um importante produtor nacional de arroz, comprometendo a oferta do produto no mercado. Diante disso, o grupo decidiu por racionalizar a quantidade de venda por cliente para atender a todos.

A reportagem do GCN/Sampi consultou outras principais redes da cidade de Franca. Até o momento, estão vendendo os pacotes de arroz sem restrições no número de pacotes por clientes.

Essa medida vem sendo adotada por outras redes de supermercado em todo Brasil. Na última quinta-feira, 9, o grupo das redes Pão de Açúcar e Extra começou a limitar a compra de arroz, feijão, leite e óleo de soja em suas unidades de todo o país, além de seus sites. A restrição vem em meio ao temor de que as enchentes no Rio Grande do Sul possam afetar os estoques de alimentos no país.

Fale com o GCN/Sampi! Tem alguma sugestão de pauta ou quer apontar uma correção?
Clique aqui e fale com nossos repórteres.

Receba as notícias mais relevantes de Franca e região direto no seu WhatsApp
Participe da Comunidade

9 COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.

  • Wellington
    16/05/2024
    Savegnago já tem por hábito limitar quantidade por cliente, geralmente fazem isto com promoções, já vi diversas vezes: óleo limitado a 10, leite limitado a 12 ou 24. A diferença é que agora tem o agravante da situação do RS.
  • Alex
    16/05/2024
    Meu não tão caro Dirceu. Com a catástrofe acontecendo no sul do país e pelo volume de alimentos que estão sendo doados aos desabrigados, certamente o leite faz parte destas doações e caso a demanda seja muito grande pode sim causar um desabastecimento em alguma localidade, mesmo aqueles que não estão sofrendo com a calamidade, com medo da falta do insumo pode querer estocar uma quantidade desnecessária de algum tipo de alimento, então as redes de supermercado estão, preventivamente, tentando fazer que não falte os produtos em sua prateleiras. Então cabecinha vazia, pelo visto só você viu o leite. Pode ser uma manobra para subir preços? Pode. No lugar dos donos de mercado, você faria o quê? Esvaziaria suas prateleiras e fecharia seu comércio ou reduziria a quantidade por pessoa e continua atendendo os seus fregueses? Responde aí sabichão?
  • Dirceu
    14/05/2024
    Caro Alex... só comentei do Leite, pq em outras grandes redes começaram a racionar tbem... e não demora o Savegnago entra na mesma narrativa. Mas o incrível, que vc só conseguiu ler \"LEITE\".... e nada mais entrou nessa sua cebecinha vazia... afff
  • Darsio
    13/05/2024
    Onde estão os nossos histórico estoques regulatórios, implementados desde a década de 60? Temer e Bolsonaro não somente acabaram com eles, como fecharam armazéns. Todo país sério mantém esses estoques, já pensando nos efeitos de catástrofes como esta e, com isso evitar um desiquilíbrio entre oferta e demanda. Até quando o plano safra continuará a priorizar somente culturas de exportação? Na nossa região, observa-se somente cana e café , nem mesmo lavouras de milho são vistas. Quem sabe, essa tragédia não sirva para uma mudança de rumos, isto é, a retomada desses estoques e uma política agrícola que possa até mesmo subsidiar a produção de arroz e feijão.
  • ADILSON
    13/05/2024
    ISSO É MARKETING, RESTRINGE PARA POVO IR COMPRAR , O MAXIMO POSSIVEL , ESSAS EMPRESAS TRABALHA COM MEDO DAS PESSOAS E ESCAZES..... SO FOI LULA MANDAR IMPORTAR , O SUPER AGRO , APARECEU O ESTOQUE ESCONDIDO
  • Alex
    13/05/2024
    Onde você leu que estão restringindo a quantidade de leite Dirceu? Só de arroz for sinônimo de leite e eu não estou sabendo.
  • Mauricio Fico
    13/05/2024
    mais uma vez quem vai pagar o pato,é o povo,os donos de supermercados que se dizem comerciantes,vao limitar o consumo,estocarem o produto,pra depois alegarem que esta faltando,ai colocam o arroz a 50 reais e ninquem reclama,e eles vão ter lucros exorbitantes,essa é a realidade
  • Dirceu
    13/05/2024
    Só conversinha... agora limitam para aumentar os seus estoques pra daqui alguns dias o preço subir uns 30% e eles lucrarem ainda mais em cima do povo... É uma narrativa furada.... Vão limitar o leite pra que???? O leite vendido aqui em Franca, é produzido na região mesmo, e não comprado do RS... Vão vendo.... não dou até o final do mês e o arroz vai bater os 30 reais novamente com a alegação de q está faltando.
  • Ro
    13/05/2024
    Tem que limitar mesmo. Porque o povo que acredita em Fake News vai querer fazer estoque e aí sim vai faltar o produto.