Um portal afiliado à rede

Um portal afiliado à rede

07 de dezembro de 2022

DENÚNCIA

DENÚNCIA

Justiça do Rio aceita denúncia contra José Dumont por posse de pornografia infantil

Justiça do Rio aceita denúncia contra José Dumont por posse de pornografia infantil

Ator foi preso em flagrante no último dia 15, depois que policiais encontraram imagens em seu computador e telefone celular em operação de busca e apreensão em sua casa.

Ator foi preso em flagrante no último dia 15, depois que policiais encontraram imagens em seu computador e telefone celular em operação de busca e apreensão em sua casa.

Por Nicola Pamplona | 24/09/2022 | Tempo de leitura: 2 min
da Folhapress

Por Nicola Pamplona
da Folhapress

24/09/2022 - Tempo de leitura: 2 min

TV Globo/Divulgação

José Dumont: prisão convertida em preventiva durante audiência de custódia

A juíza Gisele Guida de Faria, da Primeira Vara Especializada em Crimes contra a Criança e o Adolescente do Rio de Janeiro, aceitou nesta sexta-feira, 23, a denúncia do Ministério Público contra o ator José Dumont, 72, acusado de armazenar fotografias e vídeos contendo cenas de pornografia infantil.

Dumont foi preso em flagrante no último dia 15, depois que policiais encontraram imagens em seu computador e em seu telefone celular durante operação de busca e apreensão em sua casa. Ele é investigado também por suposto abuso de um adolescente.

Sua prisão foi convertida em preventiva durante audiência de custódia, a pedido da promotoria, em decisão que considerou suspeitas de que algumas das imagens armazenadas tenham sido produzidas pelo próprio ator.

"Embora a defesa tenha afirmado que ele não teria tido a vontade de armazenar os arquivos e que realizaria um trabalho envolvendo o assunto, não se pode desconsiderar que o relatório da SEPOL indica 'a possibilidade de ter sido produzida pela câmera do trabalho apreendido'", diz trecho da decisão.

Dumont alega que pesquisou as imagens para estudo para a realização de um trabalho sobre o tema e que não participa de grupos com trocas de imagens infantis pornográficas. Ele também negou ter fotografado, filmado, comprado ou vendido qualquer material do tipo.

A denúncia que levou à operação de busca e apreensão foi feita por vizinhos, que afirmaram que o ator foi flagrado em imagens do circuito interno do prédio acariciando e beijando um adolescente de 12 anos. Na operação, policiais encontraram cerca de 240 arquivos de pornografia infantil, totalizando 98 megabytes.

Nesta segunda (19), o Ministério Público da Paraíba requisitou, nesta segunda-feira, 19, a retomada das investigações sobre possível estupro de vulnerável praticado por Dumont em 2009 na cidade de Cabedelo, a 15 km de João Pessoa.

As investigações tiveram início quando uma vizinha do ator encaminhou uma denúncia ao Ministério Público Federal, relatando que ele estaria recebendo em seu apartamento meninos na faixa de 8 a 14 anos.

Dumont estava escalado para interpretar um explorador de menores na novela "Todas as Flores", uma produção original da Globoplay. Segundo a sinopse, o personagem abriga crianças que pedem esmola em um ônibus abandonado onde ele mora.

"Diante dos fatos noticiados, a Globo tomou a decisão de retirá-lo da novela. A suspeição de pedofilia é grave. Nenhum comportamento abusivo e criminoso é tolerado pela empresa, ainda que ocorra na vida pessoal dos contratados e de terceiros que com ela tenham qualquer relação", afirmou a emissora.

A juíza Gisele Guida de Faria, da Primeira Vara Especializada em Crimes contra a Criança e o Adolescente do Rio de Janeiro, aceitou nesta sexta-feira, 23, a denúncia do Ministério Público contra o ator José Dumont, 72, acusado de armazenar fotografias e vídeos contendo cenas de pornografia infantil.

Dumont foi preso em flagrante no último dia 15, depois que policiais encontraram imagens em seu computador e em seu telefone celular durante operação de busca e apreensão em sua casa. Ele é investigado também por suposto abuso de um adolescente.

Sua prisão foi convertida em preventiva durante audiência de custódia, a pedido da promotoria, em decisão que considerou suspeitas de que algumas das imagens armazenadas tenham sido produzidas pelo próprio ator.

"Embora a defesa tenha afirmado que ele não teria tido a vontade de armazenar os arquivos e que realizaria um trabalho envolvendo o assunto, não se pode desconsiderar que o relatório da SEPOL indica 'a possibilidade de ter sido produzida pela câmera do trabalho apreendido'", diz trecho da decisão.

Dumont alega que pesquisou as imagens para estudo para a realização de um trabalho sobre o tema e que não participa de grupos com trocas de imagens infantis pornográficas. Ele também negou ter fotografado, filmado, comprado ou vendido qualquer material do tipo.

A denúncia que levou à operação de busca e apreensão foi feita por vizinhos, que afirmaram que o ator foi flagrado em imagens do circuito interno do prédio acariciando e beijando um adolescente de 12 anos. Na operação, policiais encontraram cerca de 240 arquivos de pornografia infantil, totalizando 98 megabytes.

Nesta segunda (19), o Ministério Público da Paraíba requisitou, nesta segunda-feira, 19, a retomada das investigações sobre possível estupro de vulnerável praticado por Dumont em 2009 na cidade de Cabedelo, a 15 km de João Pessoa.

As investigações tiveram início quando uma vizinha do ator encaminhou uma denúncia ao Ministério Público Federal, relatando que ele estaria recebendo em seu apartamento meninos na faixa de 8 a 14 anos.

Dumont estava escalado para interpretar um explorador de menores na novela "Todas as Flores", uma produção original da Globoplay. Segundo a sinopse, o personagem abriga crianças que pedem esmola em um ônibus abandonado onde ele mora.

"Diante dos fatos noticiados, a Globo tomou a decisão de retirá-lo da novela. A suspeição de pedofilia é grave. Nenhum comportamento abusivo e criminoso é tolerado pela empresa, ainda que ocorra na vida pessoal dos contratados e de terceiros que com ela tenham qualquer relação", afirmou a emissora.

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.