Por mais privacidade

Drieli Koetzler Messias, 6, luta contra a leucemia desde janeiro de 2005.

22/06/2006 | Tempo de leitura: 2 min

Ao lado da mãe Cristiane Koetzler Messias, a pequena Drieli Koetzler Messias recebe medicação no Hospital do Câncer: “A ala infantil é muito importante para evitar que as crianças tenham contato com os adultos e pr
Ao lado da mãe Cristiane Koetzler Messias, a pequena Drieli Koetzler Messias recebe medicação no Hospital do Câncer: “A ala infantil é muito importante para evitar que as crianças tenham contato com os adultos e pr
Drieli Koetzler Messias, 6, luta contra a leucemia desde janeiro de 2005. Ela é de Pedregulho e viaja toda segunda-feira para se tratar no Hospital do Câncer de Franca, onde fica aproximadamente quatro horas por semana. Durante o último um ano e meio, Drieli presenciou cenas fortes de pacientes, especialmente adultos, pela recepção e corredores da entidade. Antes de descobrir que tinha leucemia, Drieli passou por várias consultas médicas por padecer de febre constante e outros sintomas de gripe. “Foram dois meses sem saber o que minha filha tinha. Suspeitaram até de toxoplasmose. Só descobrimos depois que apareceram caroços no pescoço dela”, disse a mãe Cristiane. A criança viaja para os tratamentos em Franca com a ambulância de Pedregulho. Uma das passagens mais marcantes e traumáticas foi quando um senhor chegou de ambulância ao Hospital do Câncer e, ao passar na maca, Drieli pôde ver que o rosto dele estava desfigurado por conta de um tumor. A reação dela foi imediata. “Minha filha ficou muito assustada e a primeira pergunta que me fez é se ela ficaria daquele jeito. Ela ficou muito triste. É preciso evitar esse contato, pois pode traumatizar. Isso atrapalha o tratamento, principalmente das crianças. Elas são mais sensíveis e sofrem mais com o que vêem”, disse a mãe dela, a dona de casa Cristiane Koetzler Messias. Para evitar o contato entre crianças e adultos doentes e atender os pacientes com mais conforto, o Hospital do Câncer resolveu construir a Ala de Oncologia Infantil “Rionegro e Solimões”, cujas obras começaram em maio e consumirão R$ 1 milhão (leia mais nesta página). DEMANDA MAIOR Drieli Messias é uma das 17 crianças, entre 1 e 18 anos, atendidas atualmente no HC para tratar leucemias, câncer no sistema nervoso, nos rins, linfomas (tipo de tumor que atinge gânglios) e neuroblastomas. A entidade foi inaugurada há quatro anos e, na época, atendia apenas dois pacientes menores. Com aumento da demanda nos últimos anos, surgiu a necessidade de ampliar a estrutura do hospital. “A ala é um sonho importante e precisa ser concluída com urgência para garantirmos qualidade e conforto na luta contra a doença”, disse Onofre Trajano, presidente da instituição. No total, 920 pessoas das 22 cidades pertencentes à DIR 13 dependem do Hospital do Câncer de Franca. O Comércio da Franca entrou na luta para colaborar com a construção. Nesta semana, foi lançada a campanha “Assine Esta Obra”. Parte das assinaturas anuais fechadas até o próximo dia 30 será doada para o HC (veja como contribuir em texto ao lado). “Ajudem. Hoje é a Drieli. Não se sabe quem precisará do Hospital do Câncer amanhã. A doação é um bem que as pessoas farão para todos”, disse Cristiane, mãe de uma das crianças que precisam do atendimento prestado no HC e de um espaço adequado para as sessões de quimioterapia e demais procedimentos.

Fale com o GCN/Sampi! Tem alguma sugestão de pauta ou quer apontar uma correção?
Clique aqui e fale com nossos repórteres.

Quer receber as notícias mais relevantes de Franca e região direto no seu WhatsApp? Faça parte da comunidade GCN/Sampi e fique sabendo de tudo em tempo real. É totalmente gratuito! Abra o QR Code.

Participe da Comunidade

Quer receber as notícias mais relevantes de Franca e região direto no seu WhatsApp? Faça parte da comunidade GCN/Sampi e fique sabendo de tudo em tempo real. É totalmente gratuito!

Participe da Comunidade

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.