Atraso dos kits de teste faz dobrar casos de dengue

O número de casos de dengue disparou em quase todos os municípios da região.

05/04/2006 | Tempo de leitura: 2 min

Vista da praia artificial de Rifaina cujo turismo pode ser prejudicado pela dnegue: agentes da Secretaria de Saúde percorrem a cidade para conscientizar a população sobre a importância de manter o quintal limpo de objetos prop&i
Vista da praia artificial de Rifaina cujo turismo pode ser prejudicado pela dnegue: agentes da Secretaria de Saúde percorrem a cidade para conscientizar a população sobre a importância de manter o quintal limpo de objetos prop&i
O número de casos de dengue disparou em quase todos os municípios da região. Uma explicação plausível para o aumento repentino é o fato de que, por não ter recebido os kits de testes, a maioria das Secretarias de Saúde dos municípios deixou de coletar o sangue para o exame e passou a contabilizar como positivos os casos que apresentam os sintomas da dengue. É o que acontece em Rifaina, onde o número saltou de 38 para 78 registros em apenas dez dias. A cidade vive uma epidemia e novos casos não estão descartados. O balneário recebe turistas de cidades como Uberaba (MG), Ribeirão Preto e Ituverava, localidades com grandes índices da doença. A técnica em enfermagem do Posto de Saúde de Rifaina, Lucimar Reis, afirma que todos os moradores que chegam ao local apresentando os sintomas entram para a lista de casos positivos. Segundo ela, ainda é grande o número de pacientes que procuram o posto se queixando de dores de cabeça e febre, entre outros sintomas. O problema se verifica em toda a região. Em Ribeirão Preto, a Vigilância Epidemiológica está estocando o sangue coletado para o exame. A cidade, que tem 1.257 casos, está com 1.590 suspeitas. “Não vamos deixar de colher o sangue”, disse a enfermeira-responsável, Hercília de Matos. Em Franca, a realidade não é diferente. O chefe da Vigilância Epidemiológica, Fernando Baldochi, comenta que a coleta do sangue para o exame é feita apenas das pessoas que residem no município e não viajaram nos últimos dias para as cidades que estão vivendo epidemia de dengue. “Inclusive amanhã (hoje) discutiremos a mudança na estratégia sobre como vamos registrar os casos suspeitos”, disse Baldochi. Uma reunião acontecerá no Instituto Adolfo Lutz de Ribeirão Preto, responsável pelos exames de toda a região, e contará com a participação das Vigilâncias Epidemiológicas de várias cidades. A Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo, responsável pelo encaminhamento dos kits para os municípios, afirma que o Ministério de Saúde não faz o repasse desde fevereiro. Com isso, tem-se gerado uma especulação em que não se sabe ao certo se todos os casos registrados como dengue são realmente positivos. A assessoria de imprensa do Ministério da Saúde afirmou ontem que a distribuição dos kits de testes de dengue será regularizada ainda nesta semana. O atraso está relacionado ao cumprimento de exigências da Receita Federal, encarregada de conferir toda a documentação do produto.

Fale com o GCN/Sampi! Tem alguma sugestão de pauta ou quer apontar uma correção?
Clique aqui e fale com nossos repórteres.

Quer receber as notícias mais relevantes de Franca e região direto no seu WhatsApp? Faça parte da comunidade GCN/Sampi e fique sabendo de tudo em tempo real. É totalmente gratuito! Abra o QR Code.

Participe da Comunidade

Quer receber as notícias mais relevantes de Franca e região direto no seu WhatsApp? Faça parte da comunidade GCN/Sampi e fique sabendo de tudo em tempo real. É totalmente gratuito!

Participe da Comunidade

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.