CINEMA

Festival de Cannes terá Karim Aïnouz e filme sobre Trump na competição

Longa relativo ao ex-presidente americano promete politizar a edição, assim como documentários sobre Gaza e Ucrânia

Por FolhaPress | 12/04/2024 | Tempo de leitura: 4 min

Divulgação

Karim Aïnouz fará a estreia de “Motel Destino”, no evento
Karim Aïnouz fará a estreia de “Motel Destino”, no evento

O Festival de Cannes anunciou na manhã desta quinta-feira (11), num evento transmitido ao vivo pela internet, os filmes selecionados para a edição deste ano do mais importante evento cinematográfico do continente europeu, que acontece entre os dias 14 e 25 de maio.

Karim Aïnouz, que esteve presente no ano passado com "Firebrand" e venceu a mostra Um Certo Olhar com "A Vida Invisível", fará no evento a estreia de seu novo longa, "Motel Destino", um thriller erótico gravado no Ceará e estrelado por Fabio Assunção.

Entre os selecionados estão ainda novos filmes de grifes como Francis Ford Coppola, David Cronenberg e Paul Schrader. Eles apresentam, na competição principal, os longas "Megalopolis", "The Shrouds" e "Oh Canada".

Também foram escalados, na principal seção do evento, "Kinds Of Kindness", de Yorgos Lanthimos; "Anora", de Sean Baker; "Bird", de Andrea Arnold; "Marcello Mio", de Christophe Honoré; "Caught by the Tides", de Jia Zhang-Ke; "Limonov: The Ballad of Eddie", de Kirill Serebrennikov", de; "Parthenope", de Paolo Sorrentino; "Emilia Perez," de Jacques Audiard; The Substance," de Coralie Fargeat; "Grand Tour," de Miguel Gomes; "All We Imagine as Light," de Payal Kapadia; "L Amour Ouf," de Gilles Lellouche; "The Girl With the Needle," de Magnus von Horn, e "The Apprentice", de Ali Abbasi.

Com o último, a edição promete ser politizada, já que o longa mostra a carreira de empresário de Donald Trump. Há também os anúncios, fora da competição, dos documentários "La Belle de Gaza", de Yolande Zauberman, e "L Invasion", de Sergey Loznitsa.

O primeiro foi gravado antes da guerra entre Israel e Hamas e não fala do conflito, mas deve atrair a atenção com seu registro de uma transexual palestina que vai a Tel Aviv para viver livremente sua identidade. O segundo mostra a invasão da Ucrânia pela Rússia, em 2022.

"Ontem me lembrei de Martin Scorsese em seu primeiro festival, e ele se tornou um habitué, mas no ano passado esteve aqui com a mesma empolgação de uma primeira vez. Esta é a mágica do Festival de Cannes, uma eterna primeira vez", disse Iris Knobloch, presidente do Festival de Cannes em seu ano de trabalho inaugural, antes dos anúncios.

O sentimento foi compartilhado por Aïnouz por meio de sua assessoria de imprensa, ao dizer que a emoção de aparecer na lista desta edição é como a de uma primeira vez ? este será seu sexto ano apresentando uma obra em Cannes.

Num esforço para se aproximar de um público mais pop, Knobloch ainda ressaltou a presença de filmes da seleção do ano passado entre os vencedores do Oscar deste ano, como "Anatomia de uma Queda", que venceu a estatueta de roteiro original.

Com uma ressalva, porém. Cannes segue tendo as plataformas de streaming que não lançam seus filmes em salas de cinema como desafetos. "A magia da tela grande está intacta. É no cinema que os filmes se tornam lendários", afirmou.

"O cinema americano foi impactado por uma greve, uma greve que nos fez refletir, entre outras coisas, sobre a inteligência artificial, um tópico muito importante, e isso impactou também o Festival de Cannes, mas o cinema americano estará presente", disse em seguida o diretor do festival, Thierry Frémaux, sobre a aproximação de Hollywood.

Ele faz referência, em especial, aos filmes fora da competição que já haviam sido anunciados, como "Furiosa", de George Miller e parte da franquia "Mad Max", e "Horizon: An American Saga", de Kevin Costner. "The Second Act", do francês Quentin Dupieux, abre o festival.

Além deles, também desfilarão pela Croisette, sem chance de vencer a Palma de Ouro, "Miséricorde," de Alain Guiraudie, "C?est Pas Moi", de Leos Carax, e "Rumours", de Guy Maddin, Evan Johnson e Galen Johnson, com Alicia Vikander e Cate Blanchett, entre outros.

Greta Gerwig, diretora de "Barbie", será a presidente do júri deste ano, como previamente anunciado, e o canadense Xavier Dolan assume o cargo equivalente na seção Um Certo Olhar. George Lucas, criador de "Star Wars" e "Indiana Jones", receberá a Palma de Ouro honorária.

Neste ano, o evento terá uma novidade importante, um novo prêmio destinado a filmes de realidade virtual, em sua Competição Imersiva, como foi chamada, que reúne oito títulos.

Como acontece com frequência, Frémaux lembrou que ajustes na seleção podem ser feitos até o evento enfim começar, então espera-se que adições ainda sejam anunciadas.

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.