MORDIDA NA IGREJA

Padre nega hóstia e morde mulher durante Comunhão em igreja

Discussão durante a Missa resulta em agressão e envolvidos vão parar na Delegacia de Polícia

Por Marcelo Rocha | 25/05/2024 | Tempo de leitura: 1 min
São José dos Campos

Foto: Reprodução / Redes Sociais

A mulher alegou que o Padre negou-lhe a hóstia, possivelmente devido à sua vestimenta ou orientação sexual.
A mulher alegou que o Padre negou-lhe a hóstia, possivelmente devido à sua vestimenta ou orientação sexual.

Uma discussão entre uma mulher e o padre Fidel Rodriguez na Igreja Santo Tomás de Aquino, em St. Cloud, Flórida, nos Estados Unidos, resultou em uma mordida no braço da mulher durante a Comunhão

Clique aqui para fazer parte da comunidade de OVALE no WhatsApp e receber notícias em primeira mão. E clique aqui para participar também do canal de OVALE no WhatsApp

A mulher alegou que Rodriguez negou-lhe a hóstia, possivelmente devido à sua vestimenta ou orientação sexual.

O relatório da polícia de St. Cloud afirmou que a mulher disse aos policiais que Rodriguez a acusou de não ter tomado os "passos necessários para receber a hóstia da comunhão."

A polícia local informou que a mulher acusou o padre de empurrar a hóstia em sua boca e, ao tentar pegar outra do prato, foi mordida no braço. Rodriguez alegou que mordeu a mulher para proteger a hóstia, considerada sagrada, após ser empurrado por ela.

O relatório observou ainda, que a mulher discutiu com o padre, dizendo que agora ela era "aceita por Deus" e que poderia participar da Comunhão.

A Diocese de Orlando informou que o padre não tinha conhecimento prévio do histórico da mulher e que, apesar de não condenar a violência, ele tentava impedir a 'profanação da Comunhão'. A mulher foi convidada a sair da igreja após o incidente. O caso está sendo revisado pelo Gabinete do Procurador do Estado para futuras ações.

Receba as notícias mais relevantes de Vale Do Paraíba e região direto no seu WhatsApp
Participe da Comunidade

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.