TROCA DE COMANDO

Estado troca comandos da PM e da Polícia Civil para tentar reduzir violência na RMVale

Em duas semanas, Vale tem novos comandantes da Polícia Civil e da Polícia Militar

Por Da redação | 26/02/2024 | Tempo de leitura: 2 min
São José dos Campos

Divulgação

Polícia Militar
Polícia Militar

O governo de Tarcísio de Freitas (Republicanos) aposta na troca dos comandos da Polícia Militar e Polícia Civil para reduzir a violência no Vale do Paraíba.

Faça parte do canal de OVALE no WhatsApp e receba as principais notícias da região! Acesse: https://whatsapp.com/channel/0029VaDQJAL4tRs1UpjkOI1l

Em duas semanas, a região ganhou novos comandantes nas duas corporações, que chegam com a missão de tirar a região do topo do ranking da violência em São Paulo.

Não vai ser fácil. O Vale tem, desde 2010, a maior taxa de vítimas de homicídio por 100 mil habitantes, com 12,44 vítimas em 2023, mais do que o dobro da média estadual, de 5,99.

A região ainda foi a única do interior a ultrapassar o patamar de 300 mortes em homicídios no ano passado, alcançando 316 óbitos. O segundo lugar ficou com Ribeirão Preto, com 236 e 80 mortes a menos do que o Vale.

Para piorar a situação, a região ainda tem seis das sete cidades com a maior taxa de vítimas de homicídio por 100 mil entre os 100 maiores municípios paulistas.

Lideram a lista as cidades de Cruzeiro (37,35 vítimas por 100 mil), Lorena (31,82), Caraguatatuba (24,47), Guaratinguetá (19,48) e Caçapava (17,67), com Araçatuba (16,34) em sexto lugar e São Sebastião (14,72) em sétimo.

A SSP (Secretaria de Estado da Segurança Pública) trocou os comandos das duas polícias no Vale, com o intuito de reorientar a política pública de segurança na região, tida como prioridade para o governo estadual.

POLÍCIA MILITAR.

A Polícia Militar ganhou um novo comandante na região na última quarta-feira (20), com Luiz Fernando Alves, que comandava o Policiamento de Área Metropolitana 6 (CPA/M-6), cuja sede é em Santo André, no ABC Paulista.

Ele substitui Hugo Araújo Santos, que esteve à frente do CPI-1 por um ano e 12 dias, e agora assume o cargo de comandante do Policiamento Rodoviário.

Luiz Fernando tem 51 anos e está familiarizado com a região, por ser natural de Lorena. O novo comandante tem quase 30 anos no serviço militar.

POLÍCIA CIVIL.

Na primeira semana de fevereiro, a mudança ocorreu na Polícia Civil, que ganhou um novo diretor na RMVale.

Múcio Mattos Monteiro de Alvarenga, há 38 anos nos quadros da polícia, assumiu o Deinter-1 (Departamento de Polícia Judiciária do Interior). Ele substituiu Waldri Antonio Covino Júnior.

O novo diretor, que estava como delegado seccional de Mogi das Cruzes, já atuou como delegado seccional do Litoral Norte.

Nesta sexta-feira (23), Múcio anunciou as primeiras mudanças nas lideranças da Polícia Civil no Vale. Em São José, assume Marcio Marques Ramalho, que já foi delegado seccional de Taubaté e Guaratinguetá.

Em Taubaté, assume Junia Cristina Leme Macedo, que é delegada de polícia há mais de 20 anos, trabalhando na capital, Noroeste Paulista, Litoral Norte e no Deic (Departamento Especializado de Investigações Criminais) de São José.

Em São Sebastião, assume Hugo Parreiras de Macedo e, em Guaratinguetá, Jaílton José dos Santos, delegado que já trabalhava na cidade.

Receba as notícias mais relevantes de Vale Do Paraíba e região direto no seu WhatsApp
Participe da Comunidade

2 COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.

  • Carlos Vagner Pereira Dias
    26/02/2024
    Faz mais ou menos uns 15 anos (4 mandatos) que ouço essa ladainha. E a Região Metropolitana do Vale do Paraíba segue como líder isolada na violência no estado, Estamos exatamente no eixo São Paulo x Rio de Janeiro, cortada pelas rodovias mais movimentadas do Brasil. As maiores riquezas passam por aqui. Como é que irão acabar ou diminuir o ilícito????
  • Jeferson
    26/02/2024
    Não adianta ficar trocando o comando toda hora, quando o problema verdadeiro é falta de efetivo policial.