OBRAS

Moradores do Limoeiro reclamam de obra da Via Oeste: corte de árvore e trânsito intenso

Terceira fase da Via Oeste vai até a divisa com Jacareí; obra tem custo de R$ 31,6 milhões e prazo de 14 meses

Por Xandu Alves | 22/02/2024 | Tempo de leitura: 4 min
São José dos Campos

Divulgação / Moradores

Corte de árvores em rua do Limoeiro
Corte de árvores em rua do Limoeiro

Moradores da região oeste de São José dos Campos reclamam das obras de extensão da Via Oeste, que estão em andamento e que irão conectar a via até a divisa com Jacareí. A nova ligação será uma alternativa à Via Dutra para acesso entre os municípios.

Faça parte do canal de OVALE no WhatsApp e receba as principais notícias da região! Acesse: https://whatsapp.com/channel/0029VaDQJAL4tRs1UpjkOI1l

No entanto, moradores da região dizem estar assustados com a obra, em razão, segundo eles, da falta de informações sobre as mudanças, do corte indiscriminado de árvores e do receio de tráfego intenso de veículos em vias hoje com baixa movimentação.

“Ruas tranquilas vão estar de frente com uma via expressa e barulhenta. Para isso, retiraram inúmeras árvores.  Uma devastação está acontecendo desde setembro, mas muito mais nesse início de fevereiro. Muitos moradores estão tristes com as retiradas de árvores e a mudança repentina da paisagem”, disse uma moradora do Limoeiro.

INFORMAÇÕES.

Ela cobra explicações da prefeitura e disse que a população do bairro não está informada sobre as mudanças que estão ocorrendo na localidade. Em nota, a prefeitura nega a falta de informação (veja abaixo).

“Ninguém da prefeitura veio aqui para explicar o cronograma [da obra]. Não explicaram por onde vai passar essa via. Alguns vizinhos falam uma coisa, outros, outra coisa diferente. Não entendemos para que retiraram várias árvores de uma praça. Uns dizem que vai ter ciclovia de um lado. A Urbam fala que é de outro”, afirmou outra moradora do bairro.

“Uma coisa é saber que o bairro vai mudar. Outra é ver o céu aberto de repente. É devastador. Tem morador chorando”, completou.

CORTE DE ÁRVORES.

Moradores também cobram por compensações para os cortes de árvores e questionam se o projeto tem licença ambiental. Mas o principal é o “sentimento ferido dos moradores”.

“A prefeitura não veio aqui. Falou há 10 anos e, de repente, somos atravessados por caminhões e máquinas. Não nos explicaram nada. Moradores antigos estão revoltados”, disse a moradora do Limoeiro.

Outro motivo de reclamação é a mudança na paisagem da Praça Mário Malta Guimarães, no Limoeiro, que teve árvores cortadas.

“A praça perdeu várias árvores grandes. Estão tendo várias informações desencontradas e dizem que nesse local vai ter uma rotatória, aí a praça teve que diminuir. O caso é que o bairro é muito sossegado e isso tudo vai virar uma via expressa”, reclamou a moradora.

“As pessoas não vão poder levar os seus netos ou filhos na praça, que era um local de descanso. Vai virar retorno de veículos. O bairro acabou.”

OUTRO LADO.

Em novembro do ano passado, a Prefeitura de São José dos Campos iniciou a obra para construção da terceira fase da Via Oeste. A nova etapa vai ligar a avenida Alfredo Asdente (Jardim Pôr do Sol) à divisa com Jacareí, no Limoeiro, na região oeste da cidade.

A obra inclui terraplanagem, drenagem, pavimentação asfáltica, melhoria e ampliação de via existente. O trecho é de 3,6 km e os serviços são executados pela Urbam (Urbanizadora Municipal). O custo é de R$ 31,6 milhões, com prazo de entrega de 14 meses.

A prefeitura informou que o projeto da Via Oeste faz parte da macroestrutura viária desde 2006, e que foi “amplamente divulgado desde sua primeira fase”.

A fase 1 da Via Oeste começa na rotatória da Avenida Miguel Naked e vai até a Arena  da Farma Conde (Av. Prof. Alfredo Fernandes de Almeida). A fase 2 compreende da Arena até a rotatória com a Rua Corifeu de Azevedo Marques (Avenida Alfredo AsdenteI). A fase 3 vai desta rotatória até a divisa com o município de Jacareí (Rua Dr. Pedro Luiz de Oliveira Costa – fase 3). A velocidade máxima para a Via Oeste neste trecho que está em construção (Fase 3) e será de 60km/h.

Segundo a administração municipal, a obra foi licenciada pela Agência Ambiental e as compensações foram feitas através de pagamento em pecúnia, recolhido ao Fundo Municipal de Conservação Ambiental, que financia projetos voltados à preservação do meio ambiente e arborização urbana.

A prefeitura também esclareceu que não haverá rotatória no entorno da Praça Mário Malta Guimarães e, com o novo traçado da via, a praça terá seu tamanho aumentado.

“A fase 3 do projeto (em execução) abrange parte da Rua Corifeu de Azevedo Marques, Travessa 1 e a Rua Dr. Pedro Luiz de Oliveira Costa até a divisa com o município de Jacareí com calçadas e ciclovia, com extensão de 3km”, disse a prefeitura.

Após a conclusão da obra, a Via Oeste terá aproximadamente 7,7 km, com vias pavimentadas e ciclovia, trazendo mais fluidez ao tráfego e segurança aos pedestres e ciclistas, interligando as regiões da cidade, principalmente para a região oeste com acesso à Rodovia Presidente Dutra e a cidade de Jacareí.

Receba as notícias mais relevantes de Vale Do Paraíba e região direto no seu WhatsApp
Participe da Comunidade

6 COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.

  • Graziele
    24/02/2024
    Que bom que essa obra esta sendo realizada, vais er benefico para São José e para o bairro. O Bairro pode ter uma infra estrutura muito melhor, não sei quem é a moradora que reportou tudo isso, mas achei exagerado. Toda mudança primeiro gera um pouco de bagunça, e depois tudo se alinha, espero que as pessoas possam ver que essa obra aguardada a anos, seja o pontapé de crescimento no bairro.
  • Lilian de Oliveira
    23/02/2024
    Sou moradora do bairro e está obra está passando pela minha rua. É real cortaram todas as árvores. Árvores que me lembro desde criança. Outro ponto importante, é que iniciaram os cortes antes do Carnaval e deixaram a sujeira no local. Apenas começaram a retirada em 21/02, porque nos juntamos para reclamar no 156. Por conta das chuvas, as folhas estavam apodrecendo e já estava com odor desagradável no ar. Isso sem contar, em pleno surto de dengue, muita água parada e barro. Perdemos espaço da via (Travessa Municipal), Com relação ao tráfego, aumentou muito. Pois, ainda está passando por dentro do bairro, os carros que buscam cortar o trânsito da Dutra. Das 18h às 19h30 está impossível e perigoso andar na rua Travessa Municipal. Outra verdade é de que os moradores não foram informados. Apenas alguns agentes de infraestrutura passaram avaliando as casas em Janeiro deste ano, por conta de possíveis rachaduras devido as obras. Nosso sentimento é de descaso com a polução.
  • Souza
    22/02/2024
    60km/h não eh vê-lo de via expressa. Na vdd, o moradores ali gostaria que \"nada mudasse\". Porém ao meu ver, o interesse público deve prevalecer. Essa história das árvores eh um pretexto pra envolver MP e gerar um bla bla bla.
  • JOSE CARLOS DA SILVA
    22/02/2024
    Não quer o progresso cidade, venha viver na área rural.
  • Jeferson
    22/02/2024
    Há muitas décadas se fala dessa e agora que finalmente saiu, tem morador reclamando que não sabia de nada? Quer sossego, arruma uma chácara no meio do mato.
  • Pedro Luís de Souza Morais
    22/02/2024
    Obrigação dos Vereadores: *Legislar *Fiscalizar o Poder Executivo *Representar os ELEITORES e o CIDADÃO Joseense Vamos lá verificar o tal Fundo de Conservação Ambiental Municipal e a Agência Ambiental que deve ser transparente segundo a Legislação e por obrigação com nossos cidadãos.........e por aí vai