SOCIEDADE

SOCIEDADE

Com 18% de idosos, Jundiaí aposta em políticas conjuntas

Com 18% de idosos, Jundiaí aposta em políticas conjuntas

Prevista por lei, Semana da Pessoa Idosa será intersetorial, envolvendo prefeitura, autarquias, fundações e Conselho

Prevista por lei, Semana da Pessoa Idosa será intersetorial, envolvendo prefeitura, autarquias, fundações e Conselho

Por Redação | 19/09/2023 | Tempo de leitura: 2 min
Prefeitura de Jundiaí

Por Redação
Prefeitura de Jundiaí

19/09/2023 - Tempo de leitura: 2 min

PREFEITURA DE JUNDIAÍ

Programação em Jundiaí terá várias atividades, incluindo rodas de conversa sobre os 20 anos de criação do Estatuto da Pessoa Idosa

Começa no dia 25 a Semana da Pessoa Idosa, que terá como proposta uma programação de maneira intersetorial, com participação das demais Unidades de Gestão do governo, além de autarquias municipais, fundações, do Conselho Municipal de Direitos da Pessoa Idosa (COMDIPI) e demais órgãos voltados à promoção de direitos da pessoa idosa.

O evento é previsto pela Lei nº 9.649, de 2021, e traz como desafio um aumento gradativo da população idosa no município, acompanhando uma tendência nacional. “Tendo em vista a crescente da população idosa em Jundiaí, é fundamental que o poder público desenvolva políticas públicas e ações que visam atender a esse público”, comenta o gestor da Casa Civil, Dr. Gustavo Maryssael.

No ano passado, segundo a prefeitura, Jundiaí contava com uma fatia de 18% de idosos entre a população total, o que correspondia a cerca de 73 mil jundiaienses. De acordo com os indicadores oficiais sobre o envelhecimento populacional da Prefeitura de Jundiaí, a previsão é de que o público nessa faixa etária chegue a 82 mil em 2025.

PROGRAMAÇÃO

Um dos principais temas a serem abordados será os 20 anos da criação do Estatuto da Pessoa Idosa. O documento entrou em vigor em 1º de outubro de 2003, e é destinado a regular os direitos assegurados às pessoas com idade igual ou superior a 60 anos.

O estatuto passou por uma série de alterações nos últimos anos - uma das mais recentes é de 2009, quando o Projeto de Lei nº 3.646 exigiu a substituição, em todo o texto, as palavras “idoso” e “idosos” pelas expressões “pessoa idosa” e “pessoas idosas”, respectivamente.

Segundo a justificativa do projeto, o termo “pessoa” lembra a necessidade de combate à desumanização do envelhecimento. Além desse tema, outras atividades serão necessárias com foco na qualidade de vida da pessoa idosa. “Será uma semana de muito aprendizado para todos nós, com atividades que estimulam o desenvolvimento e a qualidade de vida da pessoa idosa de maneira global, além da promoção do fortalecimento de vínculos familiares”, comenta a Assessora de Políticas Públicas para a Pessoa Idosa, Alessandra Citelli.

Atualmente, um jundiaiense, o fisioterapeuta Alexandre da Silva, ocupa o cargo de Secretário Nacional de Promoção e Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa, do Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania.

Começa no dia 25 a Semana da Pessoa Idosa, que terá como proposta uma programação de maneira intersetorial, com participação das demais Unidades de Gestão do governo, além de autarquias municipais, fundações, do Conselho Municipal de Direitos da Pessoa Idosa (COMDIPI) e demais órgãos voltados à promoção de direitos da pessoa idosa.

O evento é previsto pela Lei nº 9.649, de 2021, e traz como desafio um aumento gradativo da população idosa no município, acompanhando uma tendência nacional. “Tendo em vista a crescente da população idosa em Jundiaí, é fundamental que o poder público desenvolva políticas públicas e ações que visam atender a esse público”, comenta o gestor da Casa Civil, Dr. Gustavo Maryssael.

No ano passado, segundo a prefeitura, Jundiaí contava com uma fatia de 18% de idosos entre a população total, o que correspondia a cerca de 73 mil jundiaienses. De acordo com os indicadores oficiais sobre o envelhecimento populacional da Prefeitura de Jundiaí, a previsão é de que o público nessa faixa etária chegue a 82 mil em 2025.

PROGRAMAÇÃO

Um dos principais temas a serem abordados será os 20 anos da criação do Estatuto da Pessoa Idosa. O documento entrou em vigor em 1º de outubro de 2003, e é destinado a regular os direitos assegurados às pessoas com idade igual ou superior a 60 anos.

O estatuto passou por uma série de alterações nos últimos anos - uma das mais recentes é de 2009, quando o Projeto de Lei nº 3.646 exigiu a substituição, em todo o texto, as palavras “idoso” e “idosos” pelas expressões “pessoa idosa” e “pessoas idosas”, respectivamente.

Segundo a justificativa do projeto, o termo “pessoa” lembra a necessidade de combate à desumanização do envelhecimento. Além desse tema, outras atividades serão necessárias com foco na qualidade de vida da pessoa idosa. “Será uma semana de muito aprendizado para todos nós, com atividades que estimulam o desenvolvimento e a qualidade de vida da pessoa idosa de maneira global, além da promoção do fortalecimento de vínculos familiares”, comenta a Assessora de Políticas Públicas para a Pessoa Idosa, Alessandra Citelli.

Atualmente, um jundiaiense, o fisioterapeuta Alexandre da Silva, ocupa o cargo de Secretário Nacional de Promoção e Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa, do Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania.

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.