VIOLÊNCIA NA REGIÃO

Jovem com 250 mil seguidores diz ter sido estuprada em festa de influenciadores no Vale

Uma influenciadora de 19 anos e 250 mil seguidores afirma ter sido estuprada, agredida e mantida em cárcere privado em um sítio na cidade de Igaratá. Polícia investiga o caso

Por Jesse Nascimento | 22/02/2024 | Tempo de leitura: 3 min
Igaratá

Reprodução/ Redes sociais

Imagem divulgada pela jovem
Imagem divulgada pela jovem

Uma influenciadora de 19 anos e 250 mil seguidores afirma ter sido estuprada, agredida e mantida em cárcere privado em um sítio na cidade de Igaratá, no Vale do Paraíba. O caso está sendo investigado pela Polícia Civil. De acordo com a jovem, ela foi violentada por outros influencers.

Geovana Pontes, de 19 anos, relatou que ela e uma amiga foram atacadas por um grupo de homens durante uma festa com outros produtores de conteúdo realizada no sítio. A jovem é conhecida nas redes sociais, onde exibe cenários deslumbrantes, dicas de beleza e registros sensuais.

Ocorrido em 27 de janeiro, o caso só veio à tona agora. O sítio teria sido alugado por outros influenciadores  e havia também outras mulheres na festa. O caso, que foi registrado pelo 16º Distrito Policial da Vila Clementino, em São Paulo, no domingo, 28 de janeiro, é investigado pela Polícia Civil de Igaratá.

A jovem narrou às autoridades que viajou com uma amiga do Paraná para a cidade do Vale do Paraíba em uma fim de semana de janeiro.

Na terça-feira (20), Geovana fez um desabafo a respeito da demora para que as investigações avancem e rebateu comentários dos quais têm sido alvo: “Tem gente que acha que sou eu que faço a Justiça. Minha parte estou fazendo, mas a Justiça não é do dia pra noite, infelizmente”, ressaltou.

“Vocês querem que eu faça o que? Bata no juiz, na polícia, para resolver meu caso? Não é bem assim, tudo é um processo”, prosseguiu Geovana, citando ainda que um perito 'entrou no caso' para 'pegar as câmeras e vir com as provas' e que um advogado 'está resolvendo' as questões relativas ao episódio.

Geovana foi entrevistada pela TV Record e narrou o que teria ocorrido no sítio alugado em Igaratá. "Não tinha comida, não tinha sinal (de celular), não tinha nada. Não tinha nem como eu sair. Ninguém entrava e ninguém saía da casa", descreveu a jovem, que deu outros detalhes de parte das agressões.

"Um dos influenciadores me pegou pelo pescoço e me deu um soco na boca. Foi na hora que caí com tudo para trás, e outros dois ficaram falando: 'É, bate mesmo', 'É isso, aí', 'É isso que vocês merecem'", relatou a jovem.

Geovana conta que consumiu álcool na festa, mas levanta a hipótese de que outras substâncias tenham sido fornecidas sem que ela tivesse ciência. "Eu tive relação sem o meu consentimento. Eu estava vulnerável. Não sabia o que estava acontecendo", finalizou.

A reportagem tentou contato com Geovana, porém, sem sucesso.

POLÍCIA.

A Polícia Civil emitiu uma nota a respeito das investigações. “A denúncia relacionou um local na cidade de Igaratá, onde teria ocorrido as humilhações e abusos, razão pela qual a DM de IGARATÁ/SP seguirá com as apurações. Foram expedidas requisições policiais, sendo que diante da nova notícia de abuso sexual, outro exame médico-legal também foi requisitado. Os envolvidos estão sendo identificados pela equipe de investigação, para devida qualificação e intimação. Da mesma forma as vítimas serão ouvidas para auxiliar no levantamento da conduta de cada um dos imputados. No mais, as investigações seguiram sob sigilo para preservar a intimidade das vítimas."

Fale com o GCN/Sampi! Tem alguma sugestão de pauta ou quer apontar uma correção?
Clique aqui e fale com nossos repórteres.

Receba as notícias mais relevantes de Franca e região direto no seu WhatsApp
Participe da Comunidade

1 COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.

  • Tristeza
    22/02/2024
    Crime hediondo.