Mutuários comemoram avanço das obras no prédio da Encol

Depois de muita briga na Justiça para conseguir a escritura pública do prédio localizado na Avenida Major Nicácio, 2.927, abandonado pela construtora Encol, falida em 1995,

03/02/2006 | Tempo de leitura: 1 min

Depois de muita briga na Justiça para conseguir a escritura pública do prédio localizado na Avenida Major Nicácio, 2.927, abandonado pela construtora Encol, falida em 1995, os mutuários comemoram o avanço nas obras de 12 dos 15 andares da construção. “Depois de 11 anos só no esqueleto, o prédio já está quase todo concretado, e isso em apenas 6 meses de obras”, disse o presidente da Acemar (Associação dos Condôminos do Edifício Maison Royale), Paulo Barreto. Para conseguir isso, as pessoas que haviam comprado apartamentos da Encol antes de a empresa falir e abandonar a obra criaram a associação, para administrar a retomada da construção. “No início, éramos 30, mas com a retomada vendemos mais 10 apartamentos e estamos conseguindo tocar a obra, que deve custar em torno de R$ 200 mil”, disse o presidente da associação. Paulo disse que ainda faltam 16 apartamentos para serem vendidos, mas acredita que conseguirão negociar todos até o final da obra, que deve durar mais quatro anos. “Estamos vendendo a preço de custo e em condições facilitadas. Além disso, o local é bom e bastante valorizado. O prédio terá 365 metros quadrados e os proprietários poderão montar o seu apartamento como desejarem, somente não podendo mudar o local do banheiro e da cozinha.” SERVIÇOS Os interessados em comprar um apartamento no prédio podem obter mais informações pelos telefones (16) 3705-1465 e 3721-8763 ou na Avenida Major Nicácio, 2.527, todos os dias, inclusive nos fins de semana.

Fale com o GCN/Sampi! Tem alguma sugestão de pauta ou quer apontar uma correção?
Clique aqui e fale com nossos repórteres.

Receba as notícias mais relevantes de Franca e região direto no seu WhatsApp
Participe da Comunidade

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.