IPTU 2024

Campinas prevê arrecadar R$ 1,7 bilhão com IPTU em 2024

Mais de 508 mil carnês foram emitidos pela Prefeitura

Por Higor Goulart | 12/02/2024 | Tempo de leitura: 2 min
Especial para a Sampi Campinas

Divulgação/PMC

IPTU 2024: Campinas distribuiu mais de 508 mil carnês para proprietários de imóveis
IPTU 2024: Campinas distribuiu mais de 508 mil carnês para proprietários de imóveis

Segunda maior fonte de renda de Campinas, o IPTU (Imposto Predial Territorial Urbano) deve gerar cerca de R$ 1,7 bilhão aos cofres públicos em 2024. Esta é a previsão da Prefeitura de Campinas, que lançou mais de 508 mil carnês aos proprietários de imóveis não residenciais - indústria, comércio e serviços -, e residenciais - casas, apartamentos e terrenos.

Com diferentes tipos de imóveis por todo o município, o valor do IPTU por propriedade pode variar. De acordo com a Administração Municipal, os valores começam em R$ 93 e chegam a R$ 15,2 milhões.

O menor valor é em uma residência na região da Vila União, na parte Sudoeste de Campinas. Na mesma área, está uma empresa, que tem o IPTU mais caro do município.

Como é calculado o valor?
Para que a Prefeitura possa cobrar o IPTU de um imóvel, ele deve contar com duas das cinco benfeitorias do Código Tributário Nacional. São eles:

  • meio-fio ou calçamento, com canalização de águas pluviais;
  • abastecimento de água;
  • sistema de esgoto sanitário;
  • rede de iluminação pública, com ou sem poste para distribuição domiciliar;
  • escola primária ou posto de saúde a uma distância máxima de 3 (três) quilômetros do imóvel considerado

Leia Mais

Campinas registra primeiro caso de sorotipo da dengue desaparecido há 15 anos

SAF na Ponte Preta: Macaca forma comissão para avaliar propostas

Mulher leva três tiros durante tentativa de roubo em Santo Antônio de Posse


Ao todo, 508 mil imóveis contam com ao menos duas destas categorias. Assim, com base nisso, a Secretaria de Finanças analisa as características dos imóveis, como localização, metragem da área total construída, acabamento, ano da construção e outros detalhes, para chegar ao valor do imposto.

A taxa de lixo, por outro lado, considera a metragem do imóvel, se é terreno e, no caso de construção, se é residencial ou comercial, além de quantos dias por semana o serviço é disponibilizado.

Para onde vai o valor?
Por ser um imposto local, toda a arrecadação do IPTU permanece nos cofres públicos municipais. Situação diferente do IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores) e ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), por exemplo, que são divididos com o Estado.

Das receitas próprias, por exemplo, 25% são investidos em Educação, conforme determina a Constituição Federal Brasileira, e 17% na Saúde, cumprindo a Lei Orgânica do Município, que estabelece um percentual maior que o da Constituição - 15%.

“A arrecadação do IPTU vai direto para o caixa geral da Prefeitura e, além de serem usados na saúde e educação, os recursos também são usados na manutenção da cidade, em investimentos, em contrapartidas contrapartidas de obras com recursos externos, na compra de insumos, etc.”, explicou o secretário de Finanças, Aurílio Caiado.

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.