MENTE SÃ, CORPO SÃO

Meditação melhora saúde e é menos complicada do que parece

Especialista fala sobre os estigmas que cercam a meditação e explica que a prática traz muitos benefícios e pode ser feita por todos

Por Redação | 3 dias atrás | Tempo de leitura: 3 min

Jornal de Jundiaí

Alexandre Martin explica que a meditação é um estado da mente que permite uma conexão com nosso inconsciente
Alexandre Martin explica que a meditação é um estado da mente que permite uma conexão com nosso inconsciente

Rotina corrida, estressante, ansiosa, uso de medicamentos controlados. A vida moderna tirou de muitas pessoas o tempo de reflexão, de corpo e mente alinhados. Mas, mesmo com um cotidiano tenso, a meditação pode ser encaixada em alguns minutos do dia e trazer inúmeros benefícios. Quem fala sobe isso é o médico especialista em acupuntura e com formação em medicina chinesa e osteopatia, Alexandre Martin.

O especialista esclarece que, para que a prática da meditação comece, é necessária apenas vontade do praticante. "Algumas pessoas já têm uma imagem preconcebida de que a meditação tem que ser necessariamente algo parado, então esse é um dos bloqueios que muitas pessoas têm, principalmente aquelas que têm ansiedade. A meditação começa por um estado mental, mas ela é reverberada por todos os outros corpos energéticos que a pessoa tem. Não só no físico, mas também corpos energéticos. Como exemplo de quebra de paradigma, você pode meditar em movimento", diz.

O médico fala que é possível meditar durante uma corrida, por exemplo. "Você está alinhado, colocando sua cabeça em conjunto com esse tipo de energia, e você pode ter experiências reveladores de percepção durante uma corrida. Quem faz exercício de longa duração, como a corrida, fala que pensa muito, resolve problemas durante a prática. Se está preocupado, sai para correr e volta melhor", pontua.

ESTADO DA MENTE

Alexandre conta que a meditação é um estado de percepção ampliada, de contato consciente consigo. "Meditação é um caminho amplo, não vem intermediar o seu cérebro, pelo menos não o consciente. Precisa escutar, sentir, perceber. É percepção. Você vai chegar ao seu entendimento, mas através de algo que você perceba e não necessariamente que você entenda. Mas você vai compreender, aquilo será assimilado (...). Quando você está vendo um pôr do sol, uma obra de arte, quando você está lendo um livro, Você tem a possibilidade de entrar no estado meditativo, que é um estado alterado de consciência e de percepção ampliada, que não necessariamente você vai entender", explica.

Para quem tem dificuldade de foco, o médico diz que a prática constante faz com que o cérebro fique treinado, evitando, por exemplo, pensamentos intrusivos, que atrapalham a concentração. "O que você faz é simplesmente ter conta dos pensamentos e deixar eles passarem. O problema não é tê-los, você os terá sempre. Até porque você está conectado nessa dimensão, onde a atenção é muito importante, até para sua sobrevivência (...). Ele vai vir, vai chegar perto de você e vai embora. Você não precisa mandar parar, deixa ir embora. Essa habilidade é treino. Se você ficar ansioso e tentar parar, é pior. Tem que deixar fluir, porque meditação é fluxo."

BENESSES

Com a meditação, além de influenciar conscientemente algo que é inconciente, há o relaxamento do corpo, que permite a melhora da circulação, aumento da capacidade de oxigenação, ao passo que também diminui o estresse, a adrenalina. "Autoconhecimento, percepção, estrutura. Mas, dos benefícios da saúde, a meditação leva o corpo a se colocar numa posição de recepção, de descanso, de anabolismo, de regeneração. É um tipo de metabolismo que você vai atingir, por exemplo, dormindo, naturalmente, mas você pode induzir isso, você pode melhorar o seu sono, você pode melhorar seu anabolismo, pode ter uma ação de evitar o envelhecimento. O estado oposto desse é o de atenção, de alerta, de briga.

Para começar, basta fazer. Cada pessoa pode encontrar seu modo de meditar e 10 minutos por dia já fazem diferença, mas o médico lembra que é importante deixar o corpo reto. "O cérebro é dividido, a grosso modo, em dois hemisférios. Um tem uma característica mais artística analógica e o outro é mais analítico, mais lógico, raciocínio digital. Quando você se coloca em estado meditativo, você tem a chance de deixar esses dois hemisférios em harmonia, de forma que eles trabalham juntos."

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.