IRREGULAR

Morador denuncia descarte de entulho no Jardim Messina

A UGISP, pelo Departamento de Limpeza Pública, informa que o descarte de resíduos sólidos deve ser feito nos ecopontos da cidade

Por Rafaela Silva Ferreira | 27/02/2024 | Tempo de leitura: 2 min
Jornal de Jundiaí

Divulgação

Daniel, morador do bairro Jd. Messina, denunciou o descarte irregular de entulho em vias da região
Daniel, morador do bairro Jd. Messina, denunciou o descarte irregular de entulho em vias da região

Daniel Micheli, morador da rua Siracusa, bairro Jardim Messina, denunciou à reportagem do JJ, o descarte irregular de entulho em vias públicas da região. Segundo ele, há diversas pilhas de entulho espalhadas pela rua, o que tem gerado transtornos e preocupações para os residentes locais.

O denunciante esclarece a situação. "Eu moro na última casa da rua Siracusa, a mesma do Hospital Universitário. Tenho um vizinho que possui uma academia e, recentemente, realizou uma obra por ali. O que sobrou de entulho, ao invés de descartar de forma regular, ele chamou um morador de rua e delegou a função."

Segundo Daniel, houveram providências a serem tomadas de forma independente. "Tinha entulho jogado em frente à minha casa. Por isso, fui conversar com o vizinho em questão. Foi me dito que ele pagou R$ 50 para esse morador de rua realizar o descarte. O morador espalhou o lixo por todo o bairro, inclusive na minha calçada. O resto ficou na praça e em um terreno baldio na rua Messina. O vizinho que solicitou o descarte irregular também contou que o morador de rua comentou que tinha um lugar 'certo' para descartar."

A situação tem causado ainda mais indignação porque Daniel se sente desamparado diante da circunstância. "Liguei três vezes no 156, pedindo um respaldo para a Prefeitura, para tomarem as medidas necessárias e resolver o problema, evitando que casos semelhantes voltem a ocorrer no bairro", finaliza.

PREFEITURA

A Unidade de Gestão de Infraestrutura e Serviços Públicos (UGISP), pelo Departamento de Limpeza Pública, informa que o descarte de resíduos sólidos deve ser feito nos ecopontos disponíveis na cidade. Jundiaí dispõe de sete ecopontos - Geresol, Cidade Nova, Jardim do Lago, Jardim Tarumã, Morada das Vinhas, Residencial Jundiaí e Vila Nambi. Cada residência poderá descartar gratuitamente, uma vez por semana, o volume de 1m3 - equivalente a uma caixa d'água de mil litros. O departamento esclarece que quando ocorre um descarte irregular de restos de materiais de construção provenientes de pequenas ou grandes reformas, e de qualquer outro resíduo sólido (móveis velhos, madeira, recicláveis, orgânicos) em áreas públicas ou privadas não muradas (terrenos baldios), pode causar, além da sujeira, a contaminação de lençóis freáticos, prejuízos à fauna e flora, além da atração de animais como ratos, mosquitos, escorpiões, entre outros. O descarte irregular é crime ambiental passível de punição e multa, segundo as leis municipais nº 2140/1975 e nº 7.186/2008. A multa varia entre R$ 500 e R$ 12.059,52. O valor pode dobrar em caso de reincidência. Em 2022 foram aplicadas 34 multas e, em 2023, até outubro (mês do último balanço), 31.

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.