JUNDIAÍ

Transporte público fica 'compacto' para ser eficaz

Os micro-ônibus foram adotados em linhas menores nos últimos anos pelo aspecto econômico

Por Nathália Sousa | 25/02/2024 | Tempo de leitura: 2 min

Nathália Sousa

Algumas linhas menores receberam micro-ônibus nos últimos anos
Algumas linhas menores receberam micro-ônibus nos últimos anos

Há cinco anos, Jundiaí tinha apenas um micro-ônibus em operação pela cidade, mas quem usa o transporte público pode já ter percebido que o número de veículos do tipo aumentou neste período. Hoje, são 20 micro-ônibus na frota do município. Por outro lado, em 2019, Jundiaí tinha 19 ônibus articulados, os conhecidos como "sanfonados". Neste ano, são oito.

De acordo com a Unidade de Gestão de Mobilidade e Transporte (UGMT), os micro-ônibus foram adotados em linhas menores pelo aspecto econômico, pois atendem ao mesmo número de passageiros que um ônibus grande, economizando tempo de viagem, combustível, e peças automotivas. Já em relação aos ônibus articulados, a adaptação aconteceu por outras causas. A redução desses veículos na frota ocorreu devido à vida útil dos ônibus, de no máximo 12 anos, e, junto a isso, na pandemia os ônibus tiveram uma alta nos preços, impossibilitando a aquisição de novos veículos.

PERCEPÇÃO

Usuário do transporte público, Adeni Matildes dos Santos se lembra que há mais tempo os micro-ônibus já operavam em algumas linhas. "Há muito tempo, em 2012, mais ou menos, eu pegava micro-ônibus, na linha que passava pelo São Camilo, Jardim da Fonte, agora só uso os ônibus grandes mesmo. Quando usava, achava um pouco mais confortável e acho que o micro-ônibus é eficiente onde tem menos fluxo. Onde tem muita gente, não compensa, tem que ser ônibus grande, como nas linhas Vila Arens, Cecap", conta ele no terminal Vila Hortolândia.

No mesmo terminal, Miguel Camargo diz que as demandas são diferentes na cidade. "Dependendo do lugar que passa, é até útil. Por exemplo, na Vila Marlene sempre tem micro-ônibus, porque pouca gente usa, então, dependendo da situação, acho útil ter. Os articulados, eu acho que fazem falta para muita linha. O 947, que faz a linha da Vila Hortolândia para o Eloy Chaves e muita gente frequenta, às vezes não tem espaço em alguns horários, aí idoso acaba indo de pé. Acho que tem mais visibilidade nas linhas que ligam outros terminais ao Central, mas entre os demais terminais é cheio também."

Joseli Maria Ramos Maurício dos Santos usa as linhas da Vila Hortolândia ao Centro ou ao Cecap. "Eu geralmente uso o grande, é muito difícil usar o micro-ônibus, mas os ônibus estão sempre cheios. Normalmente, meu marido me traz de carro, então não uso tanto o transporte público. Quando uso, costumo pegar os ônibus que vão para o Central ou Cecap, mas ainda não usei o micro", conta.

FROTA

Ainda de acordo com a UGMT, as adequações entre os veículos têm por objetivo oferecer o atendimento a toda a cidade, mais rapidez, com maior segurança e conforto. No mesmo período, os últimos cinco anos, houve adequação de 90 itinerários. Recentemente, a Prefeitura de Jundiaí também adquiriu 68 novos ônibus, todos com ar-condicionado, wi-fi, câmeras de segurança e carregadores de celular, equipados com motores mais potentes e menos poluentes.

1 COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.

  • Eduardo Rocha Ferreira
    25/02/2024
    Não adianta microônibus o que precisa ser cumprido os horários e quem fiscaliza não fica so no terminal como um robô. Tem que tomar atitude se o ônibus estiver atrasado ponha outro pra fazer o itinerário a te saber o motivo do atraso