ENTREGAS

Em terceiro dia de paralisação, motoboys pedem melhorias em Jundiaí

Em nota, o iFood diz manter o diálogo com 'representantes da categoria para o aprimoramento de iniciativas que garantam mais dignidade, ganhos e mais transparência'

24/02/2024 | Tempo de leitura: 1 min

Reprodução

Durante a ação dos entregadores nos últimos dias, mantiveram os aplicativos do iFood desligados, produziram faixas e fizeram uma passeata com buzinaço
Durante a ação dos entregadores nos últimos dias, mantiveram os aplicativos do iFood desligados, produziram faixas e fizeram uma passeata com buzinaço

Cerca de 150 entregadores de Jundiaí aderiram a uma paralisação que se arrasta desde quinta-feira (22) na cidade. De acordo com a categoria, o intuito da manifestação é reivindicar melhorias aos motoboys que atuam junto a plataformas de entrega de alimentos na cidade, em especial, o iFood.

Um dos motoboys que integra a paralisação, Vitor Jurkovich, diz que são pedidos: taxas de entrega em valor equiparado ao pago em São Paulo, um ponto do iFood para motoboys na cidade, melhorias em relação à espera nos restaurantes, fim do loop (sistema desenvolvido pela plataforma para que haja um agrupamento de pedidos que serão entregues em endereços mais próximos e eles sejam entregues pelo mesmo entregador), promoções aos fins de semana e feriados, além de melhoria no suporte do iFood, pois os entregadores alegam dificuldade de contato com a empresa.

Durante a ação dos entregadores nos últimos dias, além de manterem os aplicativos do iFood desligados, eles produziram faixas e fizeram uma passeata com buzinaço em Jundiaí.

O iFood foi procurado pelo JJ e, em nota, informa que respeita o direito à manifestação pacífica e à livre expressão dos entregadores. Desde 2019 trabalhamos na construção de espaços recorrentes e permanentes de escuta e melhoria constante. Como empresa brasileira e ciente do seu papel na geração de oportunidades, temos nos dedicado na criação de uma agenda sólida e perene de diálogo com os trabalhadores e representantes da categoria para o aprimoramento de iniciativas que garantam mais dignidade, ganhos e mais transparência para estes profissionais.

4 COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.

  • isso não é emprego
    28/02/2024
    Pessoal, Tornar esse serviço de entrega como uma profissão de longo prazo é errado. Qualquer um que trabalhe como motorista Uber, entregador de Ifood ou outros, deveria saber que isso não é um carreira. O app sempre vai pagar pouco para o entregador, isso deveria ser considerado como um \'\'bico\'\' , uma renda extra para um momento de emergência do cidadão...
  • José Manoel Dos Santos
    26/02/2024
    Apóio o pedido dos motoboys, porém, alguns deles teriam que mudar a postura, qdo estão nas ruas, como por exemplo: cortar de giro, empinar a moto, com a entrega do cliente na beg, ficar acelerando a moto, etc...
  • Anomymos
    26/02/2024
    Se for para baixar a taxa de entrega concordo, aqui é Jundiaí e não é capita.Uma entrega de 400m esta saindo 7,90 absurdo para o cliente. A extensão de ponta a ponta de Jundiaí são 6 km.O aplicativo tem que rever suas políticas de preços e de entrega urgente.Faz 2 meses que não peço mais pelo Ifood muito caro para o consumidor.
  • Sem paz
    25/02/2024
    Para exigir melhorias no comecem respeitando os ouvidos e a paz da população e deixem de usar essas porcarias de escapamento aberto e coloquem os originais. Todos os clientes deviam avaliar com 1 estrela se o entregador chegar com um rojão ambulante de 2 rodas