EM JUNDIAÍ

Números de casos de dengue crescem 98% em uma semana

O mosquito Aedes aegypti se reproduz em qualquer recipiente com água parada, por isso é necessária atenção

Por Redação | 11/02/2024 | Tempo de leitura: 2 min
Prefeitura de Jundiaí

Divulgação

Mosquito Aedes aegypti se reproduz em qualquer recipiente com água parada
Mosquito Aedes aegypti se reproduz em qualquer recipiente com água parada

De acordo com os dados do Boletim Epidemiológico divulgado no site da Prefeitura de Jundiaí, o número de casos positivos de dengue cresceram 98% em uma semana, saltando de 162 para 311. Ainda estão em análise 273 resultados.

Neste período de folia, o Executivo tem alertado os munícipes sobre os riscos de surgimento de focos do mosquito Aedes aegypti, uma vez que calor e chuva são o combo ideal para aumentar a transmissão. O mosquito aproveita a tranquilidade dos quintais com recipientes com água acumulada para colocar os ovos e gerar novas "safras" de transmissores de arboviroses, seja dengue, zika, chikungunya ou até a febre amarela.

A Vigilância em Saúde Ambiental (Visam) da Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS), apresenta um checklist, que deve ser utilizado periodicamente, para manter a casa livre de abrigos para os mosquitos. Entre os itens da lista, estão não deixar lixo espalhado no quintal, tirar os pratinhos do vaso, manter a tampa dos vasos sanitários sempre fechadas e, para quem tem pets, lavar as vasilhas duas vezes por semana com água e sabão.

"As chuvas e a temperatura elevada favorecem a infestação. O mosquito precisa apenas de recipientes "criadouros" para a colocação dos ovos, os quais em contato com a água liberam as larvas. o ciclo do Aedes aegypti (ovo, larva, pupa e mosquito adulto) pode se completar em mentos de 10 dias quando as temperaturas estão elevadas. O cenário nos preocupa porque os casos de dengue estão crescendo, e é sabido que 80% dos criadouros estão nas residências", ressalta a biomédica da VISAM, Ana Lúcia de Castro.

"As pessoas devem aproveitar o período de Carnaval para eliminar qualquer objeto que possa acumular água e se transformar em criadouro de mosquitos. Também é importante usar repelente e roupas compridas. Outra medida importante é que as pessoas que irão viajar, se atentem para a situação epidemiológica do destino e reforcem a prevenção", completa a diretora do Departamento de Vigilância em Saúde, da UGPS, Fauzia Abou Abbas Raíza.

A checklist completa está disponível para download no site da prefeitura.

SINTOMAS

A infecção pelo vírus da dengue pode ser assintomática (sem sintomas), apresentar quadro leve e até quadro com sinais de alarme e de gravidade. Normalmente, a primeira manifestação é a febre alta (maior que 38 °C), de início abrupto, que pode durar de 2 a 7 dias, acompanhada de dor de cabeça, dores no corpo e articulações, além de prostração, fraqueza, dor atrás dos olhos e manchas vermelhas na pele.

Os sinais de alarme que indicam uma evolução potencialmente mais grave, sendo imprescindível que os pacientes busquem atendimento médico, são: dor abdominal intensa, náuseas, vômitos persistentes, sangramento de mucosas e alteração da consciência, e normalmente ocorrem quando a febre começa a ceder.

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.