OPINIÃO

Canetas emagrecedoras: saúde ou estética

06/02/2024 | Tempo de leitura: 3 min

Jamais se pensou que um dia, uma caneta, pudesse te ajudar a emagrecer, mas hoje isso é possível! Laboratórios europeus desenvolveram simples dispositivos que possuem um composto de medicamentos (variando conforme a pessoa) cujo objetivo é suprimir o apetite. Isso não é uma cena de ficção científica, então é hora de pensar que isso é real, e as canetas emagrecedoras já estão batendo verdadeiros records de vendas, inclusive no Brasil!

Com menos apetite, você come menos e, consequentemente, perde peso e esses medicamentos disponíveis no mercado são diversos, variando segundo a necessidade de cada paciente. Geralmente são injeções, com dosagem de administração diária ou semanal.

Esse dispositivo propriamente dito, que parece uma caneta, foi desenvolvido inicialmente, para atender uma demanda das pessoas com diabete, que precisam tomar injeção de insulina mais de uma vez ao dia. Com a caneta, pode-se levar a dosagem de todo o dia em um dispositivo pequeno e que não chama a atenção de ninguém.

Diversos estudos e testes foram feitos com esses dispositivos, e eles mostraram que eles promovem diversos benefícios na redução de peso em pacientes obesos ou com sobrepeso. Desde então, passou a ser usada com essa finalidade. Porém, o uso indiscriminado e sem prescrição médica da Caneta de Emagrecimento tem aumentado bastante, causando sérios efeitos colaterais, sendo os principais: dor de cabeça e náusea.

A bem da verdade, é importante frisar um ponto. Só quem pode te recomendar essa caneta é um médico, já que os remédios a serem usados no tratamento precisam de prescrição médica, tem contraindicações e efeitos colaterais, como qualquer outro medicamento utilizado no tratamento de qualquer doença ou condição.

O que tem preocupado a ANVISA é quantidade de canetas falsas que estão sendo vendidas a la vonte pela internet, sem falar dos laboratórios que manipulam o composto de medicamentos sem a expertise para assim fazer, prejudicando a saúde das pessoas.

O que tem preocupado os médicos é que a maior incidência do uso da caneta é para fins estéticos e não para saúde, principalmente por usuários que querem emagrecer rapidamente, com o objetivo de ir passar férias na praia ou mesmo ir para uma formatura ou um casamento. Ou seja, a automedicação é frequente, e aí sim ao invés de beneficiar, traz danos à saúde.

Outro ponto relevante é que só os remédios não fazem milagres. Não há receita mágica para emagrecer. Além disso, é necessário realizar exames para ter um panorama detalhado da sua condição de saúde antes de iniciar um tratamento com esse tipo de dispositivo.

Vale ressaltar, que o preço das canetas, chegam a ultrapassar os R$ 1.000,00 o que dificulta o uso por pessoas de baixa renda. E os Planos de Saúde, pagam por essa medicação? Boa pergunta, boa discussão, uma vez que não sendo para fins estéticos os Planos deveriam fornecer o medicamento, mas na maioria das vezes, essa discussão acaba em processo judicial.

A caneta emagrecedora, quando bem utilizada, certamente trará benefícios para o seu corpo e a sua saúde, desde que usada e prescrita adequadamente.

José Roberto Charone é advogado (charoneadvogados.com.br)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do SAMPI

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.