VACINA

Jundiaí tem dificuldade em receber antirrábica

A consequência do baixo número de animais vacinados é um prejuízo à saúde

Por Letícia Malatesta | 08/12/2023 | Tempo de leitura: 2 min
Jornal de Jundiaí

Divulgação

Neste ano, 2.251 animais foram vacinados em Jundiaí, número baixo em relação aos registrados
Neste ano, 2.251 animais foram vacinados em Jundiaí, número baixo em relação aos registrados

Jundiaí, de acordo com Vigilância em Saúde Ambiental (Visam), vem enfrentando dificuldades para receber doses de vacinas antirrábicas. De acordo com o mesmo órgão, ligado à Saúde, o imunizante é fornecido exclusivamente pelo Ministério da Saúde.

Atualmente, de acordo com o último censo registrado pela Prefeitura, existem 29.343 animais registrados na cidade. Apesar do número, até o dia 31 de novembro de 2023, 2.251 animais foram vacinados; em 2022, foram 2.150; em 2021, 1.886; em 2020; 1.188 e em 2019, 1.738. Em 2018, quando havia campanha de vacinação contra a raiva nos bairros e uma quantidade maior de doses disponíveis, a Unidade de Vigilância de Zoonoses (UVZ) de Jundiaí imunizou 36.204 animais, segundo informações de uma matéria da época, da própria Prefeitura, em seu portal.

Em nota, o Ministério da Saúde informou que, diante da queda do número de casos de raiva canina, em 2019, a Pasta abandonou a tradicional estratégia de vacinação em massa anual, e passou usar a vacinação nos focos da doença que surgiam, mantendo a oferta de vacina e soro antirrábico para atendimento pré e pós exposição das pessoas em risco. O ministério disponibilizou para os gestores locais aproximadamente 800.000 doses da VARC (Vacina Antirrábica Canina), visando garantir a manutenção das atividades de rotina.

IMPORTÂNCIA

A veterinária Marília Marin Negrão comenta sobre a consequência do baixo número de animais vacinados. "O número de animais vacinados contra a raiva é preocupante. Vale ressaltar que a raiva é uma doença infecciosa viral aguda. O prognóstico é ruim na maioria dos casos e isso pode ser evitado através da vacinação. A consequência do baixo número de animais vacinados é um prejuízo à saúde, tanto dos pets, pela alta letalidade, quanto risco à saúde do homem."

"A raiva é uma doença de evolução rápida, o período de incubação é de cerca de 10 a 15 dias, então é preciso ficar atento aos sintomas, que podem variar, mas, no geral, os portadores do vírus apresentam comportamentos agressivos, salivação excessiva, paralisia, dentre outros", complementa a veterinária.

A Visam reitera que é fundamental que os tutores de cães e gatos atualizem, anualmente, a vacina antirrábica dos animais. O imunizante é disponibilizado gratuitamente pela Visam, a partir de agendamento nos telefones: (11) 4589-6340 e (11) 4589-6350. Já na rede particular, de acordo com Marília, o custo médio da vacina antirrábica é R$ 80 a dose.

Em caso de identificação de morcegos, principais circulantes do vírus, em situações não usuais, a Visam recomenda que o munícipe contate o órgão imediatamente pelos telefones, para que os técnicos façam a retirada segura do animal.

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.